Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 03 > Entidades garantem segurança dos produtos de origem animal

Notícia

Entidades garantem segurança dos produtos de origem animal

Pecuária

Para representantes do setor, casos pontuais não podem prejudicar todo um sistema que cumpre rígidas regras internacionais
publicado: 19/03/2017 21h04 última modificação: 21/03/2017 12h23
Foto: Beto Barata/PR Proteína animal brasileira é fiscalizada em todos os países importadores e cumpre todas as regras de segurança

Proteína animal brasileira é fiscalizada em todos os países importadores e cumpre todas as regras de segurança

Representantes de entidades frigoríficas brasileiras garantiram neste domingo (19) a segurança dos produtos brasileiros de origem animal. Após reunião com o presidente da República, Michel Temer, eles afirmaram que os fatos apresentados pela Operação Carne Fraca são pontuais e que o País cumpre todas as regras internacionais.

O presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra, ressaltou que a proteína animal brasileira é fiscalizada em todos os países importadores e cumpre todas as regras de segurança alimentar. “Nós exportamos para 170 países do mundo, temos a melhor imagem, a proteína animal brasileira é segura”, afirmou.

De acordo com Turra, a entidade “abomina” os acontecimentos e defende a punição dos envolvidos. Mas ponderou que, por conta de casos específicos, todo um sistema seja prejudicado. “Não podemos contaminar empresas, marcas e deixar na rua 4 milhões de empregos só na avicultura e suinocultura, 6 milhões pela carne bovina”, defendeu Turra.

Defesa

O presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), Antonio Camardelli, afirmou que a reunião no domingo à tarde dá a “certeza de que o caminho será retomado”. “O resultado da reunião foi extremamente interessante, porque a primeira posição do presidente é em defesa do patrimônio da indústria. A cadeia produtiva do boi representa, em uma mensuração de 2016, R$ 4,88 bilhões”, contou.

Camardelli, que é médico veterinário, também garantiu que o consumidor brasileiro pode ficar tranquilo em relação à qualidade da carne brasileira: “O recado é simples: consuma carne. A produção do mercado externo e interno é igual, não tem distinção nenhuma. (...) Podemos falar com tranquilidade que pode consumir tranquilamente. Tudo que tem SIF [número do Serviço de Inspeção Federal], tem garantia”.

Fonte: Portal Planalto