Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 02 > Reformas aprovadas deixam o Brasil mais eficiente, diz Temer

Notícia

Reformas aprovadas deixam o Brasil mais eficiente, diz Temer

Reformas

Em evento em São Paulo, presidente da República reforçou a necessidade de uma simplificação tributária e de mudanças no sistema político-eleitoral
por Portal Planalto publicado: 20/02/2017 13h09 última modificação: 20/02/2017 17h09
Beto Barata/PR Presidente durante discurso no lançamento do Agro+ São Paulo. Ele falou em desburocratizar para ganhar eficiência

Presidente durante discurso no lançamento do Agro+ São Paulo. Ele falou em desburocratizar para ganhar eficiência

O presidente da República, Michel Temer, afirmou, nesta segunda-feira (20), que as reformas propostas pelo governo federal até o momento tornam o Brasil mais eficiente. Durante discurso no lançamento do programa Agro+, Temer citou a simplificação tributária e a reforma política como assuntos a serem debatidos pelos parlamentares em um futuro próximo.

Ao participar do evento, Temer classificou as mudanças que o governo tem proposto como “urgentes” para o País. Ele argumentou que não se muda o cenário “do dia para a noite” e explicou que, quando assumiu o governo, o País estava em uma “grave” recessão. Dessa forma, o primeiro passo era fazer o Brasil voltar a crescer.

Segundo o presidente, as reformas têm como objetivo enfrentar os problemas econômicos e tornar o País mais eficiente. O teto dos gastos públicos, o Novo Ensino Médio, as mudanças na legislação trabalhista e na Previdência Social formam os quatro pilares iniciais de reformas. As próximas serão a tributária e a política.

“Não falo mais em reforma tributária, falo em simplificação tributária, que é uma grande coisa”, explicou o presidente. “Nós temos o dever de promover uma simplificação tributária no País.”

Temer ressaltou que, no caso de uma reforma política, a intenção do governo é colaborar com o debate, já que propor mudanças no sistema eleitoral são de competência do Congresso Nacional. “Se houver tempo, nós queremos encaminhar para o Congresso uma reformulação política”, observou.

Fonte: Portal Planalto