Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 02 > Estudantes acreditam em melhor educação com Novo Ensino Médio

Notícia

Estudantes acreditam em melhor educação com Novo Ensino Médio

Educação

Para ministro da Educação, medida vai aproximar o ensino brasileiro a de países como Estados Unidos e Canadá
por Portal Planalto publicado: 16/02/2017 19h57 última modificação: 16/02/2017 19h57
Foto: Beto Barata/PR Temer e ministros posam para foto com estudantes de Pernambuco, Bahia e Goiás

Temer e ministros posam para foto com estudantes de Pernambuco, Bahia e Goiás

Sancionado nesta quinta-feira (15) pelo presidente da República, Michel Temer, o Novo Ensino Médio promove a maior mudança estrutural na educação no Brasil em duas décadas. A medida traz como principais mudanças a possibilidade de um currículo mais flexível, a ampliação da carga horária e a formação técnica dentro da grade.

Estudante do 9º ano do ensino fundamental em Salvador (BA), Wilson Fernandes vai ingressar no ensino médio em 2018. Ele comemora as mudanças e elenca a possibilidade de escolher as matérias de acordo com sua vocação e o ensino por tempo integral como os pontos altos. Para ele, as mudanças vão elevar o patamar da qualidade do ensino no País.

Prestes a entrar no ensino médio, Fernandes diz estar ansioso para estudar no novo modelo. “Hoje eu vejo que o Brasil realmente está, não está no nível que devia estar no estudo, ainda mais no ensino médio. (...)  Vamos progredir”, disse.

Essa evolução na educação brasileira também foi apontada pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, em entrevista ao Portal Planalto. Citando a avaliação de 2015 do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), que constatou que o Brasil está estacionado há dez anos entre os países com pior desempenho, o ministro ressaltou que era necessário realizar mudanças.

“Houve a coragem, a decisão importante do presidente Temer, de introduzir essas mudanças que vão permitir um avanço considerável no ensino médio brasileiro, permitindo ao jovem que ele tenha, de fato, um protagonismo na definição do seu próprio futuro”, afirmou.

Qualidade

Ao tornar o currículo mais flexível, com cada aluno escolhendo as áreas de aprofundamento de conhecimento de acordo com sua vocação e projeto de vida, o ministro acredita em melhor qualidade do ensino médio para todo o País. “Com o Novo Ensino Médio, o Brasil vai se adequar àquilo que ocorre em toda a Europa, Estados Unidos, Canadá e Ásia”, avaliou.

A avaliação do ministro é compartilhada pela estudante Jennifer Longo, que também cursa o 9º ano do ensino fundamental em Salvador. “Ficou muito melhor, porque nós vamos ter direção, vamos poder focar exatamente naquilo que quisermos. Não que as outras disciplinas te distraiam, mas é melhor focar em uma coisa, acho que dá mais resultado”, disse.

Pedro Davi, que cursa o 1º ano do Ensino Médio em Luziânia (GO), quer cursar medicina e já planeja adequar o currículo para atingir seu objetivo. A possibilidade de montar sua grade de acordo com as preferências do estudante, na visão de Davi, será uma ferramenta no combate à evasão escolar.

“Vai ser benéfico para toda a população, todos os jovens, principalmente aqueles que quando chegam no ensino médio acabam desistindo. Com essa nova plataforma, o ensino médio, juntamente com o técnico, vai ajudar muita mais no ensino transformador desses jovens”, apontou.

Fonte: Portal Planalto