Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 02 > Brasil e Argentina compartilham objetivos para o comércio internacional

Notícia

Brasil e Argentina compartilham objetivos para o comércio internacional

Relações Internacionais

Susana Malcorra, chanceler do país vizinho, reafirmou posição dos países da região no combate ao protecionismo econômico e protagonismo do Mercosul
por Portal Planalto publicado: 10/02/2017 20h16 última modificação: 15/02/2017 15h12
Fotos: Beto Barata/PR Michel Temer recebeu presidente argentino no Palácio do Planalto

Michel Temer recebeu presidente argentino no Palácio do Planalto

A visita oficial do presidente da Argentina, Maurício Macri, ao Brasil, nesta semana, reforçou a missão dos dois países pela integração regional, pelo crescimento do Mercosul e a inserção da região no cenário internacional. Durante o encontro do mandatário argentino com o presidente da República, Michel Temer, foram assinados acordos de cooperação em comércio, diplomacia e saúde.

Para a chanceler da Argentina, Susana Malcorra, existe um compromisso “muito forte” dos dois países com a liderança regional. Em entrevista ao Portal Planalto, ela disse entender que o cenário de grandes instabilidades externas abre novas oportunidades que devem ser aproveitadas pelo bloco regional.

“[A relação entre Brasil e Argentina é] uma missão que está relacionada com nossas relações bilaterais, mas também com a integração do próprio Mercosul”, afirmou. Como exemplo de atuação conjunta para inserção internacional, a chanceler destacou a carta ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), pedindo a realização de estudos sobre viabilidade de criação de uma agência para a convergência regulatória entre os dois países.

Uma das agendas que unem Argentina e Brasil é o combate à onda de protecionismo econômico. Na próxima reunião ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC), os países da América do Sul defenderão o fortalecimento das trocas multilaterais. “Estamos convencidos de que medidas que limitem ou contenham o comércio atentam contra o desenvolvimento mundial e, portanto, vamos definitivamente trabalhar para ter uma agenda muito propositiva nesta próxima reunião”, adiantou.

Na visão da chanceler, um dos riscos do protecionismo econômico é o enfraquecimento dos vínculos entre os países. “Acreditamos que temos de olhar com muita atenção e com muito cuidado porque, no passado, momentos de restrição ao comércio multilateral e de protecionismo, de xenofobia inclusive, levaram o mundo a situações difíceis, e temos sw evitá-las”, disse.

Promoção do comércio internacional

O presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Roberto Jaguaribe, tem a mesma visão da chanceler argentina no potencial de atuação conjunta entre os dois países no cenário internacional.

“A aproximação com a Argentina é um elemento fundamental não apenas para o comércio bilateral, mas como uma forma de inserção no mundo. Brasil e Argentina juntos, no âmbito do Mercosul, no âmbito da América do Sul, no âmbito da América Latina, têm muito a construir”, afirmou.

Durante a visita de Macri, a Apex e a Agência Argentina de Investimentos e Comércio Internacional assinaram acordo de cooperação que contempla iniciativas de intercâmbio de informações sobre os respectivos mercados, o estímulo à realização de missões comerciais entre os dois países e a assistência mútua à promoção internacional. Para Jaguaribe, além de promover o intercâmbio bilateral, o acordo contribuirá para ampliação do comércio no âmbito sub-regional (Mercosul), âmbito regional (América Latina) e no contexto internacional.

Fonte: Portal Planalto