Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 02 > Aprovação no Senado mostra reconhecimento ao currículo de Moraes, diz Temer

Notícia

Aprovação no Senado mostra reconhecimento ao currículo de Moraes, diz Temer

STF

Em mensagem lida pelo porta-voz, presidente da República comentou que o IPCA-15 divulgado nesta terça-feira (22) confirma a tendência de queda da inflação
por Portal Planalto publicado: 22/02/2017 15h42 última modificação: 23/02/2017 16h51
portal planalto
Foto: Alan Santos/PR Porta-voz da Presidência da República passou a mensagem aos jornalistas

Porta-voz da Presidência da República passou a mensagem aos jornalistas

O presidente da República, Michel Temer, afirmou, nesta quarta-feira (22), ser uma forma de reconhecimento às "notáveis credenciais técnicas" a aprovação pelo Senado de Alexandre de Moraes ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Com 55 votos a favor e 13 contra, os senadores confirmaram a indicação de Temer para o lugar de Teori Zavascki, morto em janeiro.

“A expressiva maioria alcançada traduz o reconhecimento das notáveis credenciais técnicas e profissionais do doutor Alexandre de Moraes, reconhecimento este que os membros da Comissão de Constituição e Justiça já haviam demonstrado na sabatina realizada ao longo do dia de ontem”, disse o presidente.

Em pronunciamento, o porta-voz da Presidência da República, Alexandre Parola, informou que Temer tem a convicção de que Moraes prestará contribuição relevante à realização da justiça no Brasil durante seu mandato no STF. “Pautado sempre pela mesma independência, imparcialidade e apego resoluto às disposições de nossa Constituição Federal que caracterizam sua trajetória pessoal”, disse.

Inflação

Temer comentou também a divulgação, na manhã de hoje, do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15) para o mês de fevereiro. A taxa de 0,54% é a mais baixa em cinco anos e traz o IPCA acumulado em 12 meses para 5,02%.

“[O IPCA-15] confirma a tendência de queda da inflação, que converge consistentemente para o centro da meta determinada para o ano de 2017, ou seja, 4.5% ao ano”, disse o presidente.

Fonte: Palácio do Planalto