Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 01 > Reforma garante direitos dos trabalhadores, diz ministro

Notícia

Reforma garante direitos dos trabalhadores, diz ministro

Modernização

Ministro Ronaldo Nogueira afirmou que proposta prevê criação de oportunidades para os brasileiros e garante segurança jurídica a funcionários e empresários
por Portal Planalto publicado: 01/01/2017 11h45 última modificação: 02/01/2017 15h08
Marcos Corrêa /PR Ministro Ronaldo Nogueira durante divulgação das medidas de modernização

Ministro Ronaldo Nogueira durante divulgação das medidas de modernização

A reforma trabalhista apresentada pelo governo federal está ancorada na garantia de direitos, na segurança jurídica e na criação de oportunidades para todos os brasileiros. Na semana passada, o presidente da República, Michel Temer, enviou ao Congresso Nacional um projeto de lei prevendo uma modernização nas atuais regras.

Em entrevista ao Portal Planalto, o ministro do Trabalho e Emprego, Ronaldo Nogueira, explicou a importância da proposta e relatou que a medida vai prestigiar a convenção coletiva, além de regulamentar o trabalho temporário e o trabalho por jornada parcial. “Teremos condições de propiciar que o Brasil, nos próximos dois anos, contrate 5 milhões de pessoas”, projetou.

Para chegar a essas propostas, o governo manteve um “amplo diálogo” com representantes de trabalhadores e empresas por meio de reuniões e encontros com sindicatos, confederações e outras entidades de classe. “Todos participaram e se manifestaram a respeito do texto”, disse.

Diálogo amplo

O diretor parlamentar da Nova Central de Trabalhadores, Luiz Gonzaga de Negreiros, relatou que as propostas apresentadas foram construídas a várias mãos, entre governo, trabalhadores e empresários. “O legado de Getúlio Vargas, que sempre garantiu o direito dos trabalhadores, não foi desmontado. Estamos aqui apoiando o presidente Temer e todos os seus ministros”, afirmou.

Fonte: Portal Planalto, com informações do Ministério do Trabalho e Emprego e da Nova Central Sindical de Trabalhadores