Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2017 > 01 > Reforma da Previdência busca garantir aposentadoria aos jovens, diz Temer

Notícia

Reforma da Previdência busca garantir aposentadoria aos jovens, diz Temer

Reforma da Previdência

Em conferência a investidores em São Paulo, presidente da República alertou para a sustentabilidade do sistema e a necessidade de pensar no futuro
por Portal Planalto publicado: 31/01/2017 12h53 última modificação: 31/01/2017 16h45
Foto: Beto Barata/PR Presidente durante abertura do 2017 Latin America Investment Conference

Presidente durante abertura do 2017 Latin America Investment Conference

O presidente da República, Michel Temer, afirmou nesta terça-feira (31) que manter a Previdência Social nos moldes atuais “é decretar sua inviabilidade”. Durante conferência a investidores em São Paulo, Temer reforçou a necessidade de o atual sistema de pensões e aposentadorias ser reformado.

Dados da Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda mostram que o déficit do sistema em 2016 chegou a R$ 149,7 bilhões. “Mantê-la como está, além de espantar os investimentos de que precisamos hoje, é negar aos jovens a aposentadoria de amanhã”, afirmou Temer. “Se não arrumarmos a Previdência, vamos prejudicar os jovens de hoje e àqueles que hoje têm as suas pensões e começam a bater nos cofres públicos, às portas do poder público, e não tem como receber as suas pensões.”

Este cenário de déficit no sistema previdenciário foi atingido com o volume de 16 milhões de idosos que há no País hoje. Em 2060, o Brasil deve atingir mais de 58 milhões de idosos. “Foi por isso que nós propusemos uma reforma de verdade, à altura do desafio maior de salvar a Previdência”, disse.

Rombo

E citando as 75 mil novas anunciadas em 2016 pelo governo no financiamento estudantil (Fies), Temer ressaltou que medidas como essa podem ser inviabilizadas pela necessidade de o governo cobrir o rombo que o déficit previdenciário causa nas contas públicas. E a mesma situação afeta também os estados, lembrou, sendo que alguns chegam “quase à falência” para pagar as aposentadorias do funcionalismo público.

Fonte: Portal Planalto