Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 12 > Reforma da Previdência prevê idade mínima de 65 anos para aposentadoria

Notícia

Reforma da Previdência prevê idade mínima de 65 anos para aposentadoria

Reforma da Previdência

Proposta apresentada pelo governo respeita direitos adquiridos e garante regra de transição. Regras entram em vigor após promulgação da PEC
por Portal Planalto publicado: 06/12/2016 12h33 última modificação: 06/12/2016 14h11
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil Secretário da Previdência, Marcelo Caetano, explicou a reforma em coletiva no Palácio do Planalto

Secretário da Previdência, Marcelo Caetano, explicou a reforma em coletiva no Palácio do Planalto

A proposta de reforma da Previdência apresentada pelo governo federal estabelece uma idade mínima de 65 anos para aposentadoria, com 25 anos de contribuição. O texto apresentado nesta terça-feira (6) prevê uma regra de transição e respeita os direitos adquiridos dos cidadãos.

Pelo texto apresentado pelo governo, a idade mínima de 65 anos e 25 anos de contribuição para aposentadoria valerá para homens com menos de 50 anos de idade e mulheres de até 45 anos. 

Os homens com mais de 50 anos e as mulheres acima de 45 anos entrarão em uma regra de transição, com a aplicação de um pedágio de 50% sobre o tempo de contribuição que falta, com base na regra antiga. Ou seja, uma pessoa que ainda precisa contribuir por um ano precisará trabalhar um pouco mais: um ano e meio. 

O anúncio da proposta foi feito em entrevista coletiva no Palácio do Planalto pelo secretário de Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, pelo diretor de Acompanhamento Fiscal e Políticas Públicas do Ministério do Planejamento, Arnaldo Barbosa Júnior, e pelo assessor especial da Casa Civil Bruno Bianco Leal.

Discussão

As regras só entram em vigor após a aprovação e promulgação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) pelo Congresso. Se alguém completar as condições de acesso à aposentadoria durante a discussão na Câmara e no Senado, poderá se aposentar com as mesmas regras de hoje.

Para as pessoas que já recebem aposentadorias e pensões ou que já tenham completado condições de acesso, nada muda. “O primeiro grande princípio [da reforma] é o respeito total a qualquer direito adquirido”, disse Marcelo Caetano.

Idade mínima

A PEC proposta pelo governo prevê, ainda, a elevação da idade mínima de aposentadoria se a sobrevida do brasileiro, medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aumentar.

Atualmente, a expectativa de sobrevida de um brasileiro aos 65 anos está em torno de 18 anos. Se este índice aumentar um ano, a idade mínima poderá aumentar um ano, sem necessidade de aprovar uma nova emenda constitucional. A estimativa da Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda é de dois ajustes até 2060.

Fonte: Portal Planalto