Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 12 > Comitê gestor do CDES inicia discussão sobre temas prioritários

Notícia

Comitê gestor do CDES inicia discussão sobre temas prioritários

Conselhão

Ambiente de negócios, educação básica e agronegócio estão entre os assuntos destacados para as reuniões marcadas para 2017
por Portal Planalto publicado: 13/12/2016 18h45 última modificação: 14/12/2016 10h13
Foto: Reprodução Germano Rigotto é um dos integrantes do comitê gestor do Conselhão

Germano Rigotto é um dos integrantes do comitê gestor do Conselhão

Os integrantes do comitê gestor do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) se reuniram, nesta terça-feira (13), em Brasília, para discutir os temas que serão tratados pelos grupos de trabalho do Conselhão, no próximo ano. Este foi primeiro encontro do colegiado, que é formado por cinco membros eleitos entre os 96 integrantes do CDES.

As primeiras reuniões dos grupos de trabalho estão previstas para ocorrer em janeiro e fevereiro de 2017, em Brasília. No primeiro encontro, serão discutidas propostas sobre ambiente de negócios, educação básica e agronegócio. Haverá também a reunião dos grupos de trabalho sobre produtividade e competitividade e desburocratização e modernização do Estado.

Presidente do Instituto Reformar de Estudos Políticos e Tributários, o ex-governador do Rio Grande do Sul Germano Rigotto afirmou, em entrevista ao Portal Planalto, que temas sobre ambiente de negócios, como sistema tributário, política monetária e logística, são algumas das prioridades do conselho.

“O Conselho vai apresentar tantas sugestões quantas entender que devam ser necessárias para melhorar, por exemplo, o ambiente econômico, para fazer com que haja competitividade maior para as nossas empresas, para fazer com que os investimentos na educação, na segurança, na infraestrutura, sejam bem direcionados”, afirmou Rigotto.

Contribuição

Na avaliação do presidente do Google Brasil, Fábio Coelho, os conselheiros podem contribuir com propostas que ajudem a reduzir a burocracia e aumentem a eficiência do setor público. Como, por exemplo, a modernização do Estado com o uso de novas tecnologias.

“Qualquer processo de automação – numa sociedade onde todos nós hoje em dia temos um celular na mão – pode fazer com que a gente busque gerar mais eficiência, menos custo ou mesmo um processo diferente de fazer as coisas. Com isso, a gente consegue redirecionar recursos sem necessariamente gastar mais”, afirmou.

Além de Germano Rigotto e Fábio Coelho, compõem o comitê gestor do CDES: Claudia Sender, presidente da Latam Airlines; Dorothea Werneck, ex-ministra do Trabalho e da Indústria e Comércio; e Nizan Guanaes, fundador do Grupo ABC de Comunicação.

Por ter um número menor de integrantes, a ideia é que o comitê gestor faça a interlocução de forma mais ágil entre os conselheiros e a Presidência da República. A função do Conselho é elaborar propostas que poderão ser transformadas em novas políticas públicas ou aperfeiçoar políticas já existentes.

Fonte: Portal Planalto