Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 11 > Temer repudia invasão ao plenário da Câmara dos Deputados

Notícia

Temer repudia invasão ao plenário da Câmara dos Deputados

Legislativo

Grupo defendia intervenção militar no País. Para o presidente, ato é uma "afronta" à instituição e deve ser combatido "à luz da lei"
por Portal Planalto publicado: 16/11/2016 21h10 última modificação: 21/02/2017 15h05
Foto: Marcos Corrêa/PR Pronunciamento do presidente foi lido pelo porta-voz Alexandre Parola

Pronunciamento do presidente foi lido pelo porta-voz Alexandre Parola

O presidente da República, Michel Temer, repudiou, nesta quarta-feira (16), a invasão do plenário da Câmara dos Deputados por manifestantes que defendiam a intervenção militar no País. Em pronunciamento lido pelo porta-voz da Presidência, Alexandre Parola, Temer lamentou o ocorrido e disse que o caso deve ser combatido "à luz da lei".

No pronunciamento, Temer ressaltou que a Constituição Federal garante a todos a liberdade de manifestação e opinião. No entanto, a Carta Magna não protege "a agressão e o desrespeito institucional". "Episódios como o de hoje são inaceitáveis e serão combatidos à luz da lei, em defesa da garantia de integridade de cada uma das instituições de Estado", afirmou.

No meio da tarde de hoje, cerca de 50 manifestantes invadiram o plenário da Câmara dos Deputados defendendo o fim da corrupção, dos supersalários e intervenção militar no País. Houve tumulto, a sessão foi suspensa e o local fechado. "Em uma democracia, o valor a ser preservado é o do respeito à livre expressão e da busca de apoio pelo convencimento e pela argumentação", disse Temer.

Fonte: Portal Planalto