Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 11 > Shell: Brasil é um dos três principais destinos para investimentos do grupo

Notícia

Shell: Brasil é um dos três principais destinos para investimentos do grupo

Petróleo

Para o presidente global da Royal Dutch Shell, Ben van Beurden, fica claro que o atual governo entende que o investimento estrangeiro direto é crucial para realavancar a economia
por Portal Planalto publicado: 10/11/2016 17h35 última modificação: 21/02/2017 15h03
Foto: Marcos Corrêa/PR Presidente global da Shell classificou os segmentos de petróleo e gás como potenciais motores para o crescimento brasileiro

Presidente global da Shell classificou os segmentos de petróleo e gás como potenciais motores para o crescimento brasileiro

O presidente global da Royal Dutch Shell, Ben van Beurden, afirmou que o Brasil é um dos três principais destinos globais para os investimentos do grupo Shell. Ele participou, nesta quinta-feira (10), de reunião com o presidente da República, Michel Temer, e investidores estrangeiros.

“Fizemos questão de trazer nossos investidores para mostrar o que estamos fazendo e para mostrar nossa confiança na economia brasileira”, afirmou o executivo após o término da reunião.

Ele relatou que Temer explicou as medidas que o governo têm tomado para reorganizar a economia brasileira e para “construir um ambiente amigável” aos investimentos no País. “Tivemos uma reunião útil, especialmente para nossos investidores, que participam de fundos com trilhões de dólares em carteira”, argumentou.

Beurden disse que fica claro que essa administração entende que o investimento estrangeiro direto é crucial para realavancar a economia. Ele ainda classificou os segmentos de petróleo e gás como potenciais motores para o crescimento brasileiro.

Investimentos na exploração de petróleo

“A Shell será grande investidora no País. Temos plano de investimento que chegam a cerca de US$ 10 bilhões ao longo dos próximos quatro anos”, afirmou. “Nós acreditamos desde cedo na economia brasileira e, até agora, não nos desapontamos”, observou.


Fonte: Portal Planalto