Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 11 > Multinacional Shell apresenta plano de investimentos na ordem de US$ 10 bi no País

Notícia

Multinacional Shell apresenta plano de investimentos na ordem de US$ 10 bi no País

Petróleo

Ambiente de regras claras e transparência tornam país competitivo para investimentos, afirma presidente da Shell Brasil
por Portal Planalto publicado: 10/11/2016 15h59 última modificação: 10/11/2016 18h03
Foto: Beto Barata/PR Presidente Temer reuniu-se com representantes da petrolífera multinacional Shell

Presidente Temer reuniu-se com representantes da petrolífera multinacional Shell

Durante reunião nesta quinta-feira (10), a petrolífera multinacional Shell apresentou ao presidente Michel Temer plano de investimentos de US$ 10 bilhões para os próximos cinco anos no Brasil. Participaram do encontro com o governo o presidente mundial da companhia, Ben van Beurden, e o presidente da Shell Brasil, André Araújo, além de investidores do grupo.

Em entrevista exclusiva ao Portal Planalto, André Araújo afirmou que os “sinais positivos” apresentados pelo Brasil foram responsáveis por atrair os investimentos da Shell. “É isso que nos traz agora. O que a gente busca, com certeza, é um ambiente muito positivo, de regras claras, de muita transparência e de assegurar que o Brasil continue competitivo para atrair investimentos”, afirmou.

Os recursos anunciados serão destinados aos projetos atuais da empresa, como a exploração dos campos do Pré-sal de Lula e Libra, na Bacia de Santos. Novos projetos e a participação em leilões futuros não estão incluídos nesse montante. “Mas nós vamos, como sempre fizemos, olhar as oportunidades que surjam no Brasil agora nos futuros leilões, e tomara que o País continue ranqueando bem para que a gente possa continuar buscando novos projetos aqui”, apontou.

Novo marco regulatório do Pré-sal

Sobre a aprovação do novo marco regulatório de exploração na camada do Pré-sal, nesta quarta-feira (9), pela Câmara dos Deputados, André Araújo avaliou a medida como “extremamente positiva”. A nova lei, que irá à sanção presidencial, desobriga a Petrobras de participar de todos os blocos de exploração e, assim, possibilita atrair novos investidores.

“A gente agora aguarda quais vão ser as novas condições dos próximos leilões, para que a gente possa avaliar comercialmente e tecnicamente esses projetos”, sinalizou.

Fonte: Portal Planalto

registrado em: , ,
Assunto(s): Investimento