Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 11 > Marconi Perillo defende medidas estruturantes de médio e longo prazo

Notícia

Marconi Perillo defende medidas estruturantes de médio e longo prazo

Equilíbrio de contas

Governador de Goiás afirma que pacto pelo equilíbrio das contas públicas, além de ajudar estados a quitar dívidas atuais, evitará que situação de colapso volte a se repetir
por Portal Planalto publicado: 24/11/2016 16h58 última modificação: 24/11/2016 16h58
Foto: Beto Barata/PR Governador de Goiás discursou em encontro de Temer com demais representantes dos estados

Governador de Goiás discursou em encontro de Temer com demais representantes dos estados

O pacto nacional pelo equilíbrio das contas públicas, negociado nesta terça-feira (22), em reunião entre o presidente da República, Michel Temer, e os governadores prevê unidade entre os entes da federação no ajuste fiscal promovido pelo governo federal.

Em entrevista ao Portal Planalto, o governador de Goiás, Marconi Perillo, ressaltou o caráter estruturante e de longo prazo das medidas. "É claro que nós temos um problema conjuntural atualmente. Muitos dos estados estão em colapso ou entrando em colapso. É preciso que os governos estaduais adotem medidas estruturantes de médio e longo prazo”, apontou.

Como parte das medidas de equilíbrio das contas públicas, parte dos recursos arrecadados com a Lei da Repatriação de Capitais será destinada para equilibrar a situação fiscal dos estados. Apesar da verba contribuir para colocar em dia a folha de pagamento e outras dívidas enfrentadas por diversos estados, Perillo destacou que o conjunto de medidas evitarão que esta situação de “colapso” volte a se repetir.

“Nós não podemos pensar apenas nos nossos mandatos, mas pensar em medidas que resultem em garantias de que os próximos governos também continuarão uma trajetória de equilíbrio, para evitar o colapso”, afirmou.

O governador destacou ainda o papel do pacto em reafirmar o compromisso do governo com a austeridade fiscal, a retomada da trajetória de crescimento econômico, a atração de investimentos e a geração de empregos.

Fonte: Portal Planalto