Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 11 > Com nova lei, Petrobras vai priorizar exploração dos melhores campos do pré-sal

Notícia

Com nova lei, Petrobras vai priorizar exploração dos melhores campos do pré-sal

Petróleo

Sancionada pelo presidente Michel Temer, legislação desobriga Petrobras de participar da operação em todos os blocos
por Portal Planalto publicado: 29/11/2016 20h23 última modificação: 30/11/2016 13h37
Foto: Marcos Corrêa/PR Presidente Temer sancionou novo marco regulatório do pré-sal em evento que contou com o ministro Fernando Coelho e o presidente da estatal, Pedro Parente

Presidente Temer sancionou novo marco regulatório do pré-sal em evento que contou com o ministro Fernando Coelho e o presidente da estatal, Pedro Parente

Com a nova lei do pré-sal, a Petrobras vai priorizar o investimento nos melhores campos para garantir o melhor retorno para a companhia. A afirmação é do presidente da estatal, Pedro Parente.

“Vamos procurar os melhores campos, aqueles que a gente acha que vai trazer o maior retorno para  (…) o benefício dos acionistas da empresa, lembrando que o maior acionista é o governo brasileiro, é a sociedade brasileira”, disse Parente, em entrevista ao Portal Planalto.  

Parente considera positiva a nova legislação, que dá poder de escolha à Petrobras. Antes, a estatal era obrigada a participar em pelo menos 30% de qualquer bloco contratado sobre o regime de partilha, independentemente de ter recursos ou não.

Apesar de reduzir seus investimentos num momento de restrição fiscal, a Petrobras poderá utilizar seu conhecimento de geologia do pré-sal em campos “excepcionais”. A nova lei permitirá leilões de blocos mesmo se não houver interesse da estatal em participar.

“Quando a Petrobras não queria participar, o campo deixava de ir à leilão”, ressalta o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho.

O ministro espera bilhões de dólares em investimentos em leilões em 2017, com novas empresas interessadas em explorar petróleo da camada pré-sal. “Isso vai possibilitar novos investimentos de forma mais rápida, mais célere, gerando emprego e gerando renda para o País.”

Fonte: Portal Planalto