Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 11 > Brasil firma acordo de segurança nas fronteiras com países do Cone Sul

Notícia

Brasil firma acordo de segurança nas fronteiras com países do Cone Sul

Segurança

O objetivo é trabalhar na troca de informações, em operações policiais conjuntas e no combate à lavagem de dinheiro
por Portal Planalto publicado: 16/11/2016 20h52 última modificação: 03/10/2017 13h13
Foto: Beto Barata/PR Encontro de ministros do Cone Sul contou com representantes da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai

Encontro de ministros do Cone Sul contou com representantes da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai

O governo brasileiro firmou, nesta quarta-feira (16), um compromisso de cooperação judicial, policial e de inteligência com países do Cone Sul para combater crimes nas fronteiras. A ideia é trabalhar com os outros países em três eixos principais: na troca de informações, em operações policiais e no combate à lavagem de dinheiro.
 
A Declaração de Brasília, que reúne estratégia para combater os crimes transnacionais, foi aprovada em encontro de ministros do Cone Sul realizada no Palácio Itamaraty, em Brasília. O evento teve a presença de autoridades da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai.
 
No evento, o presidente Michel Temer assinou um decreto que institui o Programa de Proteção Integrado de Fronteiras para articular diferentes órgãos do País no combate a crimes nessas regiões.
 
O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, também firmou um acordo bilateral com a Bolívia para trocar informações, mapear fronteiras e combater crimes como o narcotráfico e tráfico de armas. De acordo com Moraes, há tratados bilaterais e multilaterais assinados com diferentes países, mas que ainda não foram regulamentados.
 
A ideia, segundo ele, é tornar efetivo o controle de fronteiras, com operações policiais conjuntas e cooperação entre agências de inteligência. Além disso, o Brasil sugeriu que fosse criada uma rede de laboratórios de lavagem de dinheiro na região.
 
“Hoje, nesta reunião, mais um passo importante foi dado, com a assinatura de um decreto que recria de uma forma moderna e operacional um comitê para cuidar das fronteiras. Nós vamos levar como prioridade e muito a sério a questão das fronteiras”, disse Moraes em entrevista ao Portal Planalto.
 
Tecnologia nas fronteiras

Em declaração à imprensa, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse que a Operação Ágata, voltada para combater crimes ambientais e crimes nas fronteiras, será mais “imprevisível”. Segundo ele, a ação será feita em períodos mais curtos e com base em estratégias de inteligência. “A operação será cada vez mais imprevisível, não permitindo que a criminalidade pudesse achar que está encerrada”, disse.
 
O governo brasileiro também decidiu empregar a tecnologia de satélites de baixa altitude para as operações na fronteira. O Brasil também colocou à disposição de países vizinhos o sistema monitorado de veículos aéreos não tripulados, os VANTs.

Fonte: Portal Planalto