Notícia

Tecnologia

Brasil e Portugal assinam acordo sobre sistemas sustentáveis de energia

publicado: 01/11/2016 18h21, última modificação: 26/02/2018 12h28
Presidente Michel Temer assinou acordos de cooperação científica com o primeiro-ministro de Portugal, António Costa
Brasil e Portugal planejam produção de carro elétrico

Projeto do carro movido a energia elétrica foi assinado pelos presidentes - Foto: Foto: Carolina Antunes/PR

Após reunião entre o presidente Michel Temer e o primeiro-ministro português, Antônio Costa, Brasil e Portugal assinaram, nesta terça-feira (1º), quatro acordos de cooperação bilateral. Entre os atos firmados está a promoção de sistemas sustentáveis de energia, incluindo formas inovadoras de mobilidade urbana com baixa emissão de carbono.
O primeiro-ministro de Portugal ressaltou que a cooperação em tecnologia entre os dois países pode levar a fabricação de um carro elétrico, projeto que considera “ambicioso”.

“Um novo projeto muito ambicioso  que foi aliás objeto de dois acordos aqui assinados  tem a ver com a construção de um carro movido exclusivamente em eletricidade”, disse Costa, em declaração à imprensa ao lado do presidente Michel Temer.

Na declaração à imprensa, Temer destacou a “agenda moderna” entre os dois países, pautadas na tecnologia e inovação. “Cooperação em ciência e tecnologia, que foi objeto até de três acordos, (...) é a nova fronteira do nosso relacionamento bilateral”, disse.

Um dos pontos ressaltados na relação entre Brasil e Portugal foi construção da aeronave KC-390, da Embraer, que tem parte de suas peças produzidas na cidade portuguesa de Évora. “Um novo projeto muito ambicioso  que foi aliás objeto de dois acordos aqui assinados  tem a ver com a construção de um carro movido exclusivamente em eletricidade”, disse.

Outro ponto dos acordos assinados visa aprofundar os trabalhos para a participação do Brasil no Centro Internacional de Investigação dos Açores, cuja missão será orientada para o desenvolvimento científico, tecnológico e empresarial frente aos desafios das alterações climáticas.

Fonte: Portal Planalto