Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 11 > Agência sugere desenvolvimento de projetos de cooperação trilateral

Notícia

Agência sugere desenvolvimento de projetos de cooperação trilateral

Acordo bilateral

Agência Brasileira de Cooperação assinou um memorando com o Instituto Camões na área. Brasil e Portugal vão criar um prêmio de literatura infantil e juvenil
por Portal Planalto publicado: 01/11/2016 20h05 última modificação: 01/11/2016 20h05
Foto: Reprodução Segundo o diretor da ABC, embaixador João Almino, demandas virão dos países terceiros

Segundo o diretor da ABC, embaixador João Almino, demandas virão dos países terceiros

O diretor da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), embaixador João Almino, defendeu nesta terça-feira (1º) o desenvolvimento de projetos de cooperação trilateral em benefício de terceiros países. Durante o encontro bilateral com Portugal, a ABC assinou um memorando com o Instituto Camões para discutir projetos neste molde.

Em entrevista exclusiva ao Portal Planalto, ele afirmou que projetos começarão a ser discutidos após a assinatura do memorando com o Instituto Camões. Almino disse que, a partir de discussões internas, verificou-se o interesse em elaborar projetos que beneficiem outros países.

“Nós já temos pensado, na verdade, em que áreas podemos desenvolver esses projetos, e nós temos já também chegado à conclusão que talvez num primeiro momento nós analisemos eventuais iniciativas em benefício de países africanos, muito especialmente de países de língua portuguesa”, afirmou.

De acordo com o diretor da ABC, as áreas dos projetos ainda não foram definidas, dependendo das demandas recebidas pelos países parceiros. Almino afirmou que, no caso de países africanos, a pauta de projetos é diversificada, especialmente nas áreas de educação, saúde e meio ambiente.

“Nós temos na África alguns centros de formação profissional. Então, quem sabe nesses campos de formação profissional nós possamos trabalhar em conjunto?", ponderou. A definição detalhada, segundo o diretor da ABC, será feita de acordo com as necessidades, os interesses e as prioridades dos países que seriam beneficiados na cooperação.

Fonte: Portal Planalto