Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 10 > Prefeito eleito de São Paulo defende teto para gastos públicos

Notícia

Prefeito eleito de São Paulo defende teto para gastos públicos

PEC 241

Em reunião com Michel Temer, João Doria Júnior pediu apoio para a liberação de recursos do PAC para habitação
por Portal Planalto publicado: 25/10/2016 18h40 última modificação: 26/10/2016 13h50
Foto: Marcos Corrêa/PR Presidente Temer recebeu João Dória Junior para reunião no Palácio do Planalto

Presidente Temer recebeu João Dória Junior para reunião no Palácio do Planalto

Eleito prefeito de São Paulo em 2 de outubro, João Doria Júnior (PSDB) defendeu, nesta terça-feira (25), a aprovação da proposta que cria um teto de gastos para as despesas públicas. Para Doria, a PEC 241, que está em análise no Congresso Nacional, estabelece uma contenção das despesas fundamental para estabilizar a economia e retomar o crescimento.

A declaração de Doria sobre a PEC ocorreu em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, após ele se reunir com o presidente da República, Michel Temer. “A contenção da despesa pública é fundamental para a estabilização econômica e a retomada do crescimento”, afirmou, ao ressaltar o apoio do PSDB nas medidas do governo para estabilização da economia.

Na visão do futuro prefeito de São Paulo, o crescimento econômico possibilita o desenvolvimento social. Sem a retomada da economia, não é possível sustentar benefícios para a população.

Temas

No encontro com Temer, o prefeito eleito pediu a liberação de recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para habitação. Eles também conversaram sobre transporte público e sobre a possível transferência da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) para outro terreno na cidade, com objetivo de construir um polo tecnológico no local.

“Os temas de São Paulo não são temas paulistas, são temas brasileiros. E o presidente compreendeu bastante a dimensão do que é gerir uma cidade com 12 milhões de brasileiros”, disse.

Fonte: Portal Planalto