Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 10 > "Nosso horizonte é prestigiar saúde e educação", diz Temer

Notícia

"Nosso horizonte é prestigiar saúde e educação", diz Temer

PEC 241

Em entrevista à emissora GloboNews, presidente da República afirmou que a contenção de despesas vai tirar o País da crise
por Portal Planalto publicado: 13/10/2016 22h00 última modificação: 13/10/2016 22h02
Foto: Marcos Corrêa/PR Aprovação da PEC, de acordo com o presidente, ocorreu pela capacidade de diálogo do governo

Aprovação da PEC, de acordo com o presidente, ocorreu pela capacidade de diálogo do governo

O presidente da República, Michel Temer, disse, nesta quinta-feira (13), em entrevista à jornalista Miriam Leitão, da GloboNews, que o horizonte do governo é prestigiar a saúde, a educação e o investimento. Ele ressaltou, no entanto, que é necessário fazer “um certo sacrifício” com a contenção de outras despesas para tirar o País da crise.

“Se não houver um certo sacrifício, nós não tiramos o País da crise. Então, o teto dos gastos veio exatamente para isso”, disse o presidente, ao comentar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que foi aprovada nesta semana, em primeiro turno, pela Câmara dos Deputados. Temer atribuiu a aprovação da PEC por 366 votos à capacidade de diálogo do governo federal com os parlamentares.

Na entrevista, Temer voltou a explicar que o teto de despesas é global. E ressaltou que as áreas de saúde e educação são prioritárias para o governo. “O nosso horizonte é prestigiar a saúde e a educação, é prestigiar o investimento”, disse.

Segundo o presidente, para se investir mais em saúde e educação, o governo deverá cortar em outras áreas. “Um dos cortes que nós temos feito, ainda hoje, a imprensa registra um número infindável de contratações no Banco do Brasil. O Banco do Brasil está pensando em cortar uma porção de funções, de cargos que lá existem, que são absolutamente desnecessários”, afirmou.

“Se eu quisesse uma palavra-chave para o governo, eu diria: a palavra é diálogo. Isto significa que no momento de crise profunda que o País está atravessando, conversar com todos os setores e com todas as pessoas é importantíssimo”, disse.

Fonte: Portal Planalto