Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 10 > Educação terá R$ 9 bilhões a mais em 2017, diz ministro

Notícia

Educação terá R$ 9 bilhões a mais em 2017, diz ministro

PEC 241

Titular da pasta garantiu que aprovação da PEC 241 não significa diminuição dos recursos da área: “Muito pelo contrário, crescimento”, garantiu
por Portal Planalto publicado: 13/10/2016 18h36 última modificação: 13/10/2016 18h42
Elza Fiúza/Agência Brasil Mendonça Filho ressaltou que PEC 241 não influenciará o orçamento da pasta

Mendonça Filho ressaltou que PEC 241 não influenciará o orçamento da pasta

O ministro da Educação, Mendonça Filho, afirmou que o orçamento da pasta para 2017 terá um crescimento de 7%. Aprovada em primeiro turno na segunda-feira (10), a PEC 241 estabelece um piso para os recursos da área e da saúde também.

“A gente vai ter crescimento e investimento na área de educação, como já está previsto para 2017, uma elevação em cerca de 7%, mais de R$ 9 bilhões para a educação. Então tudo está preservado”, disse Mendonça, em entrevista ao Portal Planalto nesta quinta-feira (13)

De acordo com o ministro, o percentual permitirá ampliação do acesso à creche, investimento nos ensinos fundamental e médio e também no ingresso ao ensino superior pelos programas ProUni e Fies. “E, para os anos que se seguem, evidentemente que a gente vai considerar sempre a educação como prioridade máxima para o Brasil, ampliando o investimento na educação pública em nosso País”, completou.

Piso

Na entrevista, o ministro garantiu que a área terá mais recursos. “Não haverá queda de investimento na área da educação. Muito pelo contrário, crescimento”, afirmou. Mendonça Filho lembrou que o texto aprovado pelos deputados estabelece um teto global para todos os gastos do governo e que, dentro deste limite geral, não há um teto pre-estabelecido para a área de educação.

Mendonça Filho acrescentou que, com a aprovação da PEC, o País poderá voltar a crescer, gerar empregos e aumentar a arrecadação. “O que acaba com recurso para educação é o Brasil quebrado. Quando o Brasil se recupera pelo equilíbrio financeiro, a gente consegue crescer. E com o crescimento a gente vai ter mais recursos para a área de educação”, afirmou.

Fonte: Portal Planalto