Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 09 > Segurança jurídica e viabilidade econômica são marcas do PPI, diz Dyogo Oliveira

Notícia

Segurança jurídica e viabilidade econômica são marcas do PPI, diz Dyogo Oliveira

Infraestrutura

Ministro interino do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão reforça preocupação do governo em elevar a competitividade para a economia brasileira
por Portal Planalto publicado: 13/09/2016 17h51 última modificação: 13/09/2016 17h51
Foto: Alexandre Silva/PR Em entrevista ao Portal Planalto, Dyogo reforçou que os projetos apresentados à iniciativa privada terão como preocupação gerar atratividade.

Em entrevista ao Portal Planalto, Dyogo reforçou que os projetos apresentados à iniciativa privada terão como preocupação gerar atratividade.

A nova fase do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) terá como principais preocupações a segurança jurídica e a viabilidade econômica dos projetos, afirmou o ministro interino do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão Dyogo Oliveira. Ao Portal Planalto, Dyogo explicou que o governo federal trabalhará para que os projetos apresentados nesta terça-feira se desenvolvam de maneira tranquila, de modo a gerar interesse de parceiros.

O ministro reforçou que os projetos apresentados à iniciativa privada terão como preocupação gerar atratividade, de modo a garantir sempre uma alta participação de interessados nos leilões de concessões previstos para 2017 e 2018. "Nós estamos tomando como diretrizes a adequação dos projetos às condições de mercado”, disse Oliveira.

Outro esforço do governo será o de investir em projetos que tragam ganhos de competitividade para a economia brasileira.

"Há um grande interesse internacional sobre o Brasil e há um interesse particular nos projetos de investimentos. Nós temos mantido bastante contato com esses investidores e há um claro interesse em participar desses projetos”, disse Dyogo, frisando que o governo manterá contato constante com os agentes privados interessados em participar dessas licitações.

“Há todo um trabalho que ainda será feito de agora pra frente, de aprofundar esse relacionamento para atrair mais investidores internacionais", afirmou.