Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 09 > Picciani: Brasil cumpriu promessa de medalha diária durante Paralimpíada

Notícia

Picciani: Brasil cumpriu promessa de medalha diária durante Paralimpíada

Rio 2016

Ministro do Esporte faz balanço da participação do País nos Jogos e garante continuidade de programas de formação e apoio a atletas brasileiros
por Portal Planalto publicado: 18/09/2016 15h50 última modificação: 18/09/2016 15h50
Foto: Francisco Medeiros/ME Ministro elogia desempenho do Brasil nas Paralimpíadas e garante investimentos

Ministro elogia desempenho do Brasil nas Paralimpíadas e garante investimentos

Os Jogos Paralímpicos Rio 2016 encheram o Brasil de orgulho, tanto pela superação e exemplo dos atletas, quanto pela organização do evento, realizado pela primeira vez na América do Sul. A avaliação é do ministro do Esporte, Leonardo Picciani, que, durante coletiva de imprensa realizada na tarde deste domingo (18) no Rio Media Center, apontou mais um motivo de orgulho: o País conquistou medalhas em todos os dias de competições.

“Os atletas brasileiros do paradesporto cumpriram a promessa de que o Brasil teria medalhas todos os dias dos Jogos Paralímpicos. E tivemos medalhas em modalidades inéditas”, comemorou o ministro. “Quero registrar meu agradecimento aos atletas brasileiros, que tiveram uma extraordinária participação [nos Jogos] e nos encheram de orgulho neste momento tão importante, tão feliz para o Brasil e para o Rio de Janeiro.”

Na coletiva, Picciani apresentou o balanço dos resultados obtidos pelo Brasil nos Jogos Paralímpicos. Ele começou destacando o tamanho da delegação brasileira, que foi de 286 atletas, superando, com isso, os Jogos de Londres em 2012, quando a delegação teve 182 atletas -- até então o recorde. A quantidade de modalidades que contou com brasileiros na disputa também aumentou em quatro anos, de 18 para 22.

E essa participação resultou em uma grande evolução da presença brasileira nas cerimônias de pódio, frisou Picciani. Foram conquistadas 72 medalhas, um salto relacionado às 43 de Londres. “E todas as medalhas foram conquistadas por bolsistas do governo federal”, destacou o ministro. E ele ressaltou que, deste total, 19 medalhas foram conquistadas por mulheres, a melhor campanha feminina brasileira em Jogos Paralímpicos.

Nos Jogos Paralímpicos como um todo foram quebrados 193 recordes mundiais. Três deles foram superados pelos atletas brasileiros: Daniel Martins, 400m rasos masculino T20 (superando recorde dele mesmo); Petrúcio Ferreira dos Santos, 100m rasos masculino T47; e Claudiney Batista dos Santos, lançamento do dardo masculino F56.

Um ponto alto, também, foi o volume de ingressos vendidos, de 2,1 milhões de entradas. O número ficou próximo ao registrado em Londres, em 2012, e superou as vendas da edição de Pequim, em 2008. Outra marca foi a quantidade de pessoas presentes no Parque Olímpico da Barra em um único dia, de 167 mil pessoas. Esse número superou a marca registrada nos Jogos Olímpicos, que teve como público máximo em um dia 157 mil pessoas.

Governo continuará investimento

Durante a coletiva, o ministro garantiu que o governo seguirá investindo no esporte olímpico e paralímpico. “Vamos, agora, voltar nossas atenções para o ciclo 2016-2020 e aproveitarmos a infraestrutura Olímpica instalada no Rio e em todo o Brasil. Queremos fazer com que a participação nos Jogos 2020 seja ainda melhor”, declarou.

Uma das prioridades do governo é dar continuidade à preparação dos atletas, por meio dos programas Bolsas Atleta e Bolsa Pódio, além da parceria com as Forças Armadas.

Outro foco será a formação de novos atletas via inclusão social. “Entendemos que não existe esporte de alto rendimento sem uma base forte”, afirmou Picciani. E, para isso, ressaltou, ser necessário também zelar pelos equipamentos, que são um legado dos Jogos, como as arenas no Rio e os centros olímpicos por todo o País. “Não queremos que equipamentos caiam em desuso, queremos que sejam usados cada vez mais”, reforçou.