Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 09 > Na ONU, Temer diz que Brasil seguirá caminho da responsabilidade fiscal e social

Notícia

Na ONU, Temer diz que Brasil seguirá caminho da responsabilidade fiscal e social

Brasil na ONU

Primeiro chefe de Estado a discursar na Assembleia Geral das Nações Unidas, presidente brasileiro citou “compromisso inegociável com a democracia” no Brasil
por Portal Planalto publicado: 20/09/2016 11h50 última modificação: 20/09/2016 16h33
Foto: Beto Barata/PR Temer afirmou que o desenvolvimento depende do comércio e criticou as barreiras protecionistas no mundo

Temer afirmou que o desenvolvimento depende do comércio e criticou as barreiras protecionistas no mundo

Em discurso na abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o presidente da República, Michel Temer, disse, nesta terça-feira (20), que o Brasil busca retomar o crescimento econômico e restituir milhões de empregos perdidos. “Temos clareza sobre o caminho a seguir: o caminho da responsabilidade fiscal e da responsabilidade social”, afirmou.

Primeiro chefe de Estado a discursar na Assembleia Geral da ONU, Temer levou à Assembleia Geral um “compromisso inegociável com a democracia”. Para Temer, o Brasil já começa a retomar a confiança, o que se traduzirá, em breve, na retomada do crescimento econômico e na geração de empregos. “Nosso projeto de desenvolvimento passa, principalmente, por parcerias em investimentos, em comércio, em ciência e tecnologia. Nossas relações com países de todos os continentes serão, aqui, decisivas.”

Clima e desenvolvimento

Na véspera de depositar a ratificação do Brasil ao Acordo de Paris, que prevê a redução da emissão de gases de efeito estufa na camada de ozônio, Temer lembrou que o País é o mais biodiverso do mundo e defendeu “medidas ambiciosas” sobre o clima.

“O planeta é um só. Não há plano B. Devemos tomar medidas ambiciosas, sob o princípio das responsabilidades comuns, porém diferenciadas”, disse. Para Temer, o desenvolvimento precisa observar o cuidado ao meio ambiente. “A prosperidade e o bem-estar no presente não podem penhorar o futuro da humanidade. Mais do que possível, é necessário crescer de forma socialmente equilibrada com respeito ao meio ambiente.”

O presidente brasileiro disse, também, que o desenvolvimento depende do comércio e criticou as barreiras protecionistas no mundo. “O protecionismo é uma perversa barreira ao desenvolvimento. Subtrai postos de trabalho e faz de homens, mulheres e famílias de todo o mundo – Brasil inclusive – vítimas do desemprego e da desesperança. O sistema multilateral de comércio é parte da luta contra esse mal.”

Ao destacar a qualidade do setor agrícola brasileiro, Temer sublinhou que barreiras sanitárias não podem ser utilizadas para fins protecionistas. “É urgente disciplinar subsídios e outras políticas distorcivas de apoio doméstico no setor agrícola”, disse.

Refugiados

A garantia dos direitos humanos dos refugiados foi outro tema destacado no discurso do presidente. Para ele, esses migrantes são vítimas da pobreza, da guerra e da repressão política.

“Repudiamos todas as formas de racismo, xenofobia e outras manifestações de intolerância”, disse, lembrando a reunião de diferentes povos durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos no Rio de Janeiro. “Por meio do esporte, pudemos promover a paz, lutar contra a exclusão e combater o preconceito.”

Fonte: Portal Planalto

registrado em: