Notícia

Brasil na ONU

Mercosul acelera discussões sobre acordo de livre comércio com União Europeia, diz Serra

publicado: 19/09/2016 14h50, última modificação: 26/02/2018 12h10
Ministro das Relações Exteriores afirma, após encontro em Nova York com chanceleres do bloco sul-americano, que negociações com europeus estão avançadas

Os ministros de Relações Exteriores do Brasil, José Serra, da Argentina, Susana Malcorra, do Paraguai, Eladio Loizaga, e do Uruguai, Rodolfo Nin Novoa, reuniram-se em Nova York, neste domingo (18), para discutir as negociações do acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia. Ao final do encontro, o ministro José Serra afirmou que a perspectiva é de que o acordo seja concluído entre um ano e meio a dois anos.

“Aprovamos uma declaração que faz uma exortação à União Europeia para que prossiga, que dê mais agilidade ao processo de negociação com o Mercosul”, explicou José Serra.

Nessa declaração, os ministros de Relações Exteriores reiteram que o acordo seja “equilibrado, ambicioso e abrangente”, mas o chanceler brasileiro ponderou que ainda há resistências a serem superadas.

“Existem resistências na União Europeia, por causa de mobilizações protecionistas em alguns países”, disse Serra, reforçando que Espanha, Itália, Portugal e Suécia são “amplamente a favor” de um acordo com o Mercosul. “E eu confio que eles consigam uma maioria para poder acelerar o processo”, analisou o ministro brasileiro.

José Serra afirmou também que, a partir de agora, o Uruguai vai encabeçar as conversas entre os membros do Mercosul e os países europeus. A próxima rodada de discussões está agendada para ocorrer em Bruxelas, na Bélgica, entre os dias 10 e 14 de outubro.

Acordo Mercosul-União Europeia

As negociações entre o Mercosul e a União Europeia para um acordo de livre comércio foram iniciadas em 1999, interrompidas em 2004 e relançadas em 2010. A associação entre as regiões envolve bens, serviços, investimentos e compras governamentais.

No primeiro semestre de 2016, os blocos trocaram ofertas tarifárias para continuar a negociar o acordo. A meta é reduzir impostos alfandegários, remover barreiras ao comércio de serviços e aprimorar as regras relacionadas a compras governamentais, procedimentos alfandegários, barreiras técnicas ao comércio e proteção à propriedade intelectual.

Assemebleia-Geral da ONU

Na entrevista em Nova York, o ministro José Serra ainda adiantou alguns temas do discurso do presidente Michel Temer, na abertura da Assembleia-Geral da ONU, nesta terça-feira (20).

“Ele vai tratar da posição do Brasil no campo internacional e dos princípios que nós defendemos, seja no Brasil, seja no mundo, centrados na questão da paz, dos direitos humanos e do desenvolvimento sustentável. Esse é o tripé onde se assenta a política externa brasileira.”

Fonte: Portal do Planalto

error while rendering plone.belowcontentbody.relateditems