Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 09 > Governo está aberto a avaliar custo-benefício de grandes projetos, diz Sarney Filho

Notícia

Governo está aberto a avaliar custo-benefício de grandes projetos, diz Sarney Filho

Meio ambiente

Para ministro, análise está em consonância com a mudança de um critério global sobre o cuidado ao meio ambiente
por Portal Planalto publicado: 16/09/2016 17h43 última modificação: 18/09/2016 14h07
Foto: Reprodução "Nós estamos vivendo um novo momento, em que o mundo tem conhecimento de que a mudança climática veio para ficar", diz ministro em entrevista ao Portal Planalto

"Nós estamos vivendo um novo momento, em que o mundo tem conhecimento de que a mudança climática veio para ficar", diz ministro em entrevista ao Portal Planalto

O governo federal está aberto para avaliar o custo-benefício de grandes empreendimentos com impacto social e ambiental, afirmou o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, em entrevista exclusiva ao Portal do Planalto.

Segundo ele, a energia estimada pela usina hidrelétrica de Tapajós, cujo projeto foi suspenso pelo Ibama, pode ser compensada de outras formas, como com energia eólica ou de biomassa.

“A gente tem de ter cuidado. Esses grandes projetos têm de passar por um crivo de custo-benefício, e o governo federal está aberto a fazer essa avaliação”, disse o ministro, em referência a problemas socioambientais da usina de Tapajós.

De acordo com Sarney Filho, há estudos no ministério sobre a possibilidade de ter o mesmo potencial de geração de energia com menor dano à natureza e aos moradores locais.

Hoje, já há estudos bastante avançados que dizem que se a gente ampliasse leilões para energia eólica, com preço caindo, em breve a gente já teria, pelo mesmo preço ou até mais barato, a possibilidade de gerar energia que Tapajós geraria."

O licenciamento ambiental do projeto foi suspenso no dia 4 de agosto em uma decisão técnica, por falta de documentação necessária ao empreendimento. “Isso significa que o Ibama está comprometido com o desenvolvimento sustentável e também em respeito aos empresários, não ficar enrolando. (...) Foi uma decisão técnica, não política, e nós achamos melhor torná-la pública para que não houvesse esperança de que aquilo pudesse ser realizado daquela forma”, afirmou.

Acordo de Paris

A análise de custo-benefício de grandes empreendimentos está em consonância com a mudança de um critério global sobre o cuidado ao meio ambiente. “Nós estamos vivendo um novo momento, em que o mundo tem conhecimento de que a mudança climática veio para ficar e que é produto da ação do homem”, disse Sarney Filho.

O Brasil provou seu comprometimento com o meio ambiente ao se colocar como um dos primeiros países a assumir compromissos estabelecidos pelo Acordo de Paris, já aprovado pelo Congresso. “A nossa meta é bastante avançada, e a gente tem condições, sim, de cumprir. Por esse motivo que estamos assumindo esta liderança internacional.”

Além da redução do desmatamento e de estudos na área ambiental, um dos principais desafios brasileiros é diminuir a emissão de gases veiculares nas cidades. “Eu acredito que a gente está no caminho certo. Não é fácil, mas agora as discussões estão sendo bastante intensas, há participações nos Estados, nas prefeituras. Eu acredito que a gente vai dar um bom exemplo ao mundo e vai continuar saindo na frente nessa questão.”

Fonte: Portal Planalto