Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 09 > Em Nova York, ministro da Justiça destaca ações do País de acolhimento a refugiados

Notícia

Em Nova York, ministro da Justiça destaca ações do País de acolhimento a refugiados

Brasil na ONU

Alexandre de Moraes representou o Brasil em reunião com chefes de Estado e ministros para discutir a responsabilidade dos países em relação aos refugiados
por Portal Planalto publicado: 21/09/2016 13h27 última modificação: 21/09/2016 17h59
Foto: Agência Brasil/Arquivo Alexandre de Moraes afirmou que o Brasil já adota todos os compromissos firmados no encontro

Alexandre de Moraes afirmou que o Brasil já adota todos os compromissos firmados no encontro

O ministro da Justiça e da Cidadania, Alexandre de Moraes, representou o Brasil em uma reunião para discutir a responsabilidade dos países em relação ao recebimento e acolhimento de refugiados. O encontro ocorreu em Nova York e foi organizado pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Em entrevista após a reunião, Alexandre de Moraes afirmou que o Brasil já adota todos os compromissos firmados nesse encontro por chefes de Estado e ministros de países da América, da Europa e da Ásia.

Ele citou como exemplo o fato de estrangeiros que entram no País com pedido de refúgio não serem transferidos para os países de origem. O ministro da Justiça e da Cidadania defendeu que os governos garantam aos refugiados os mesmos direitos de cidadãos nacionais.

“O Brasil já adota isso. O refugiado, quando vem para o Brasil, não fica restrito a determinado local, ele pode se locomover livremente. [Tem] acesso à saúde, à educação”, explicou Alexandre de Moraes. Além disso, segundo ele, o Brasil é um dos poucos países em que o refugiado pode trabalhar antes mesmo de ter o pedido de refúgio deferido.

Moraes anunciou ainda que há recursos reservados no Orçamento destinados aos refugiados. “Já temos, para os próximos 12 meses, R$ 2,4 milhões para que a Secretaria Nacional de Justiça faça um chamamento público de entidades de assistência social para [apoiar] refugiados.”

O ministro afirmou que, até o final de 2017, a quantidade de refugiados sírios no Brasil deve chegar a 5 mil.

Fonte: Portal Planalto


registrado em: