Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 09 > China e Brasil assinam acordos de investimento e cooperação

Notícia

China e Brasil assinam acordos de investimento e cooperação

Relações bilaterais

Países assinaram a venda de dois jatos Phenom 300, da Embraer, para a companhia chinesa Colorful Yunnan
por Portal Planalto publicado: 02/09/2016 11h43 última modificação: 04/09/2016 09h24
Foto: Beto Barata/PR Presidente Michel Temer durante cerimonia de encerramento do Seminário Empresarial de Alto Nível Brasil-China

Presidente Michel Temer durante cerimonia de encerramento do Seminário Empresarial de Alto Nível Brasil-China

Empresários chineses assinaram, nesta sexta-feira (2), acordos de investimentos e cooperação com o Brasil. No país asiático para participar do encontro do G-20, o presidente Michel Temer aproveita a viagem para demonstrar oportunidades com a retomada da confiança na economia brasileira.

Durante seminário empresarial em Xangai, foram assinadas a venda de dois jatos Phenom 300, da Embraer, para a companhia Colorful Yunnan, e de cinco jatos E190 para a Colorful Guizhou Airlines.

Outra empresa chinesa, a State Grid, assinou acordo para comprar fatia de 23% da participação da Camargo Correa S.A na CPFL Energia. A transação é estimada em US$ 1,83 bilhão (R$ 5,92 bilhões). Outro acordo de aquisição foi o de 50,1% da sociedade de investimentos Rio Bravo pelo grupo Fosun.

O grupo WTorre formalizou um acordo com a China Communications and Construction Company International (CCCC) para um investimento de R$ 1,5 bilhão em um terminal multicargas na região de São Luís (MA). A CCCC também anunciou parceria com o Banco Modal, para atuar como assessor financeiro da empresa em projetos e investimentos na área de infraestrutura no Brasil. 

Também no Maranhão, foi assinado um investimento de US$ 3 bilhões  entre o governo estadual e a empresa CBSteel para a construção de uma siderurgia na cidade de Bacabeira. A iniciativa deve gerar em torno de 5 mil empregos.

Acordos fechados entre governo brasileiro e empresas chinesas

Fonte: Portal Planalto