Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 09 > Bolsa Atleta patrocina 90% dos paratletas brasileiros

Notícia

Bolsa Atleta patrocina 90% dos paratletas brasileiros

Rio 2016

Delegação brasileira vai encarar o desafio de se manter entre as potências paralímpicas com 286 atletas, dos quais 262 (90,6%) são patrocinados pelo programa
por Portal Planalto publicado: 07/09/2016 17h10 última modificação: 09/09/2016 09h24
Foto: Washington Alves/CPB Shirlene Coelho carregará a do Brasil na abertura os Jogos Paralímpicos

Shirlene Coelho carregará a do Brasil na abertura os Jogos Paralímpicos

A partir desta quarta-feira (7), o mundo volta os olhos novamente para o Rio de Janeiro. Com mais de 4 mil atletas de 160 países, os Jogos Paralímpicos se iniciam com uma grande festa no estádio do Maracanã, com a participação do presidente da República, Michel Temer. Serão distribuídas 528 medalhas, em 23 modalidades, durante 11 dias de disputas.

“Nós já realizamos os Jogos Olímpicos com muito sucesso e agora teremos os Jogos Paralímpicos, que transcendem o esporte porque eles trazem também luz sobre um tema importantíssimo que é a inclusão social, a acessibilidade, os exemplos de superação”, disse o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, em entrevista concedida ao Portal Planalto. “Estamos convictos de que faremos os Jogos Paralímpicos extraordinários”, completou.

A delegação brasileira vai encarar o desafio de se manter entre as potências paralímpicas com 286 atletas, dos quais 262 (90,6%) são patrocinados pelo programa Bolsa Atleta do Ministério do Esporte. Esse é o maior número de representantes nacionais na história dos Jogos.

 

Na última edição do evento, em Londres, em 2012, o Brasil ficou na sétima colocação, com 21 ouros, 14 pratas e oito bronzes. No Rio, os brasileiros pretendem terminar os Jogos entre os cinco melhores no quadro geral de medalhas. Para alcançar o objetivo, o Ministério do Esporte investiu R$ 14,5 milhões ao ano em bolsas.

O programa Bolsa Atleta apoia esportistas independentemente de sua condição econômica, com patrocínios que podem chegar a R$ 15 mil. Na Paralimpíada, são 93 atletas da categoria Pódio, 59 da categoria Internacional, 56 da categoria Nacional e 54 da categoria Paralímpica.

“O governo identifica no esporte paralímpico, e nos exemplos que ele traz, como fundamental para o desenvolvimento do País”, disse Picciani.

Em entrevista concedia ao Portal Planalto, o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Andrew Parsons, afirmou os Jogos Paralímpicos é o maior evento esportivo do mundo que provoca mudança na sociedade.

“A performance de um atleta paralímpico faz com que quem assista tenha uma transformação de dentro para fora. Eles percebem as eficiências do atleta paralímpico, aquilo que eles maximizam e o que conseguem fazer, e não ficam prestando atenção na deficiência que porventura aquele atleta tenha. Ela não está escondida, ela está lá, está visível, mas nesse contexto ela importa menos do que a eficiência. E esse é um grande fator de mudança de atitude”, disse Parsons.

Diplomacia

Poucas horas antes da abertura dos Jogos Paralímpicos Rio 2016, o presidente Michel Temer vai recepcionar Chefes de Estado e de governo no Palácio Itamaraty (RJ), antiga sede do Ministério das Relações Exteriores no Rio de Janeiro.

A cerimônia vai contar com a presença do primeiro-ministro de Portugal, António Costa, do presidente da Islândia, Gouni Thorlacius Jóhanesson, do governador-central da Austrália, Peter Cosgrove, da princesa Astrid e do príncipe Lorenz, da Bélgica, da princesa dos Países Baixos, Margriet, e do presidente do Comitê Paralímpico Internacional, Philip Craven.

Fonte: Portal Planalto