Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 09 > “Quando a gente fala que é brasileiro, o chinês logo põe sorriso no rosto”

Notícia

“Quando a gente fala que é brasileiro, o chinês logo põe sorriso no rosto”

Brasileiros na China

Brasileira que mora na China há mais de uma década conta como é testemunhar o fenômeno de crescimento econômico do país asiático e fala dos desafios vivenciados com as diferenças culturais
por Portal Planalto publicado: 06/09/2016 09h44 última modificação: 08/09/2016 11h46
Alexandre Silva Christine Marote passeia pelas ruas de Xangai

Christine Marote passeia pelas ruas de Xangai

Passeando pelo The Bund, calçadão às margens do rio Xangai, que corta a cidade de mesmo nome, a brasileira Christine Marote olha para os edifícios que desafiam os ceús na metrópole chinesa e lembra como tudo mudou rápido desde que ela chegou por ali.

“De 2004 para cá, a China mudou completamente. Coisa que outros países levam 20 ou 30 anos para fazer, a China fez em 10. O país cresce muito rápido, às vezes é mais rápido do que a gente consegue entender”, conta em uma conversa com o Portal Planalto.

Segunda maior economia do mundo, a China experimenta um fenomenal crescimento. Isso atrai pessoas do mundo todo, e não é diferente com os brasileiros. De acordo com o Ministério de Relações Exteriores, a China é o segundo país que mais abriga brasileiros na Ásia, atrás somente do Japão.

Em busca de mais informações sobre a cultura chinesa, boa parte dos brasileiros que se mudam para o país asiático acaba descobrindo o blog “China na minha vida”. A autora é Christine. Ela foi acompanhar o marido, trabalhador da indústria automobilística que foi transferido para o país.

Christine conta que, quando chegou em Xangai, já havia muitos brasileiros, mas, de lá para cá, a quantidade aumentou bastante. Ela fazia parte de um grupo de e-mails da comunidade brasileira quando começou a escrever seu blog, em 2010.

“Foi sem a pretensão de ter o alcance que tem hoje, mas as pessoas foram buscando, buscando. As pessoas conversam comigo, pedem algumas indicações e aí logo elas se adicionam à comunidade brasileira”, relata. “E o brasileiro, por si só, a gente é um povo muito receptivo e um ajuda o outro.”

O perfil dos brasileiros na China vai ficando cada vez mais heterogêneo. Procuram o blog estudantes, casais, famílias com filhos e empreendedores. “Há muitos casos de sucesso de brasileiros que vieram para a China montar o seu próprio negócio e hoje estão muito bem. A comunidade vai mudando, tem sempre gente nova chegando, e alguns indo embora”, descreve.

A adaptação em Xangai é mais fácil do que parece, avalia. É a metrópole internacional da China, muito aberta aos estrangeiros. “Aqui tem muitos produtos, serviços, escolas internacionais. Meus filhos estão aqui, terminaram a escola, estão na universidade. A gente está bem adaptado. Em 2004, a gente trazia até desodorante quando vinha do Brasil. Hoje em dia, você acha o que você quiser com mil opções de marcas.”

Se os chineses parecem um pouco mais difíceis de se abrir, basta dizer que é brasileiro, aconselha a blogueira. “Geralmente, quando a gente fala que é brasileiro, o chinês já logo põe o sorriso no rosto e começa: "futebol, Ronaldinho". Começam a listar os nomes de todos os jogadores que eles lembram, samba, Olimpíada.”

E por falar em futebol, muitos jogadores brasileiros estão sendo contratados pelos clubes de futebol chinês. Alguns se tornaram astros locais. “Os jogadores brasileiros são muito queridos, e tem vindo muitos brasileiros em vários lugares da China."

É a internet que a ajuda a encurtar a distância com familiares e amigos que ficaram no Brasil. Quando o desejo é pela culinária brasileira, fica mais fácil saciar. “A gente tem aqui também um restaurante brasileiro muito legal, tem feijoada, churrasco do tipo brasileiro. A comunidade aqui dá um jeito, chama todo mundo e faz as coisas acontecerem. E você consegue comprar até guaraná e farofa”, conta com sorriso no rosto.

Fonte: Portal Planalto