Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 08 > Setor exportador prevê maior inserção do Brasil com desburocratização de regras

Notícia

Setor exportador prevê maior inserção do Brasil com desburocratização de regras

Modernização do Estado

Para empresários, Plano Agro Mais deverá proporcionar ganhos de agilidade e permitirá ao setor elevar de 7% para 10% a participação no comércio mundial
por Portal Planalto publicado: 24/08/2016 15h57 última modificação: 24/08/2016 16h02
Foto: Beto Barata/PR Presidente em exercício, Michel Temer, durante cerimônia de lançamento do Plano Agro+: medidas de desburocratização para implementar o agronegócio brasileiro

Presidente em exercício, Michel Temer, durante cerimônia de lançamento do Plano Agro+: medidas de desburocratização para implementar o agronegócio brasileiro

Lançado nesta quarta-feira (24) pelo presidente em exercício, Michel Temer, e pelo ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, o programa de desburocratização do agronegócio deverá proporcionar ganhos de agilidade para as empresas exportadoras e permitirá ao setor elevar de 7% para 10% a participação no comércio mundial.

A opinião é do vice-presidente da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), José Mário Schreiner, que disse acreditar que até mesmo setores sem tradição nas exportações serão beneficiados com o Plano Agro Mais. “O Brasil tem um potencial gigante no agronegócio, não só grãos, não só fibras. E medidas como essas visam fazer com que esses setores se tornem extremamente importantes na pauta das exportações brasileiras.”

A expectativa do presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, é de que as ações previstas no Plano gerem impacto positivo também na produção e comercialização de caminhões e máquinas agrícolas. “Nós entendemos que, com medidas como essa, o agricultor vai retomar a confiança e se sentir compelido a atualizar seu parque de maquinário para assegurar a boa produtividade nas próximas safras. E isso é muito bom para o País, muito bom para as exportações”, diz.

Economista do departamento de Agricultura do Banco Mundial, Diego Arias enfatiza que uma das principais iniciativas previstas no Plano Agro Mais é a que prevê adaptar regras brasileiras a padrões internacionais. Dessa maneira, diz ele, as empresas agroexportadoras deverão “competir em situação similar às outras empresas de outros países, e assim expandir o mercado”.

O Plano Agro Mais prevê, por exemplo, a alteração da temperatura de congelamento da carne suína, de -18º C para -12º C, seguindo normas já adotadas internacionalmente.