Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 08 > Empresários da indústria gaúcha manifestam apoio a medidas econômicas

Notícia

Empresários da indústria gaúcha manifestam apoio a medidas econômicas

Recuperação econômica

Em encontro com Temer, empresários, políticos e sindicalistas de Caxias do Sul (RS) reforçam a importância da região, considerada o segundo maior polo metalmecânico do Brasil
por Portal Planalto publicado: 24/08/2016 15h41 última modificação: 24/08/2016 16h06
Foto: Marcos Corrêa/PR Presidente em exercício, Michel Temer, recebe o deputado Mauro Pereira (PMDB-RS) e empresários gaúchos

Presidente em exercício, Michel Temer, recebe o deputado Mauro Pereira (PMDB-RS) e empresários gaúchos

O presidente em exercício, Michel Temer, recebeu nesta quarta-feira (24) empresários, políticos e sindicalistas da região de Caxias do Sul (RS), segundo maior polo metalmecânico do Brasil. Durante o encontro, a comitiva reforçou ter confiança de que as medidas econômicas que vêm sendo adotadas pelo governo federal contribuirão para a cadeia produtiva da região.

"É preciso coragem para implementar as reformas necessárias, não importa se algumas corporações talvez estejam contrárias”, disse o presidente da Câmara de Indústria Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC), Nelson Fábio Sbabo.

De acordo com o Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul (Simecs), o setor já contou com 55 mil postos de trabalho, mas hoje tem 35 mil. Para o presidente do sindicato, Reomar Angelo, a volta da confiança na política econômica do governo será fundamental para reverter esse quadro de demissões na região.

"É uma questão muito de confiança com a estabilidade política, com a estabilidade que venha a gerar mais confiança nos investidores. Nosso setor [metalmecânica e automotivo] tem 3,6 mil empresas e depende muito dessa política do governo”, frisou Reomar Angelo.

Participaram do encontro 16 empresários, representantes da indústria e políticos da região. Ao final, eles entregaram uma carta com as demandas que precisam de apoio do governo.