Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 07 > Governo Temer recebe manifesto de confiança de representantes do agronegócio

Notícia

Governo Temer recebe manifesto de confiança de representantes do agronegócio

Agronegócio

O documento é assinado por 46 entidades de vários segmentos do agronegócio brasileiro
por Portal Planalto publicado: 04/07/2016 09h34 última modificação: 04/07/2016 11h45
Foto: Beto Barata/PR Presidente Temer durante abertura oficial do Global Agribusiness Forum 2016

Presidente Temer durante abertura oficial do Global Agribusiness Forum 2016

O presidente em exercício Michel Temer recebeu de representantes do agronegócio, na manhã desta segunda-feira (4), em São Paulo, manifesto de confiança no governo. O presidente participou na capital paulista da abertura do Global Agribusiness Forum 2016 (GAF 16), maior evento mundial do setor.

Cesário Ramalho da Silva, presidente do fórum, afirmou em entrevista ao Portal Planalto que o setor agropecuário brasileiro tem apoiado “fortemente”, desde o início, o governo do presidente Michel Temer.

“O setor rural cumpre uma missão política, apoiando o novo governo na expectativa clara de que se reduzam as dificuldades que nós temos enfrentado, e que o nosso presidente Temer conhece muito bem. Ele tem acompanhado a agricultura brasileira, conhece o potencial e a força que ela tem, principalmente dos agricultores brasileiros”, afirmou.

O manifesto, assinado por 46 entidades de vários segmentos do agronegócio brasileiro, a partir da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), foi entregue pelos realizadores do fórum, entre os quais: Datagro, Sociedade Rural Brasileira, Abramilho, e Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ).

Ramalho também destacou que o apoio do setor, que é uma atividade quase exclusiva da esfera privada, acontece de acordo com o que o presidente tem defendido, que a iniciativa privada exerça o papel de contribuir para o círculo virtuoso de crescimento do país.

“É isso que a agricultura brasileira poderá fazer pelo país, melhorar a produção, ganhar em produtividade. Melhorando a produção, aumentaremos os faturamentos brasileiros, ganharemos novos mercados e teremos a oportunidade de oferecer aos brasileiros mercadorias de alta qualidade e, evidentemente, com preços mais adequados à realidade econômica do nosso país”, afirmou.

 

Fonte: Portal Planalto