Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 07 > Atletas da delegação olímpica brasileira são recebidos no Palácio do Planalto

Notícia

Atletas da delegação olímpica brasileira são recebidos no Palácio do Planalto

Jogos Rio 2016

Dos 460 já confirmados nos jogos olímpicos, 60 estiveram presentes no encontro desta quarta-feira (13) com o presidente em exercício, Michel Temer. Vila Olímpica será aberta no próximo dia 24
por Portal Planalto publicado: 13/07/2016 15h32 última modificação: 23/12/2016 21h42
Foto: Roberto Castro/brasil2016.gov.br O presidente em exercício, Michel Temer, recebe atletas da delegação olímpica brasileira nesta quarta-feira (13) no Palácio do Planalto

O presidente em exercício, Michel Temer, recebe atletas da delegação olímpica brasileira nesta quarta-feira (13) no Palácio do Planalto

A pouco mais de 20 dias para a cerimônia de abertura dos jogos olímpicos, no Maracanã, 60 atletas da equipe brasileira participaram de um encontro no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (13), com o presidente em exercício Michel Temer.

Ao todo, a delegação que competirá no Rio de Janeiro já tem 460 nomes confirmados, número que ultrapassa em muito o recorde até então registrado na edição de Pequim 2008, com a presença de 277 brasileiros.

"Esta foi a melhor preparação da história brasileira. Quatro anos de parceria com o Ministério do Esporte, da Defesa, Marinha, Exército e Aeronáutica, Ciência e Tecnologia, confederações e patrocinadores. Tivemos o maior investimento da história brasileira e estamos com um mapa estratégico traçado desde 2009 para chegar ao top 10", ressalta Marcus Vinícius Freire, diretor executivo de esportes do Comitê Olímpico do Brasil (COB). "Não é uma meta fácil, mas é factível e vamos contar com todos os 460 atletas do Brasil para chegar lá", acrescenta.

A primeira disputa do Brasil nos jogos olímpicos será no dia 3 de agosto, às 16h, no Engenhão, em partida do futebol feminino com a seleção chinesa. No dia seguinte, a seleção olímpica masculina enfrenta a África do Sul, também às 16h, no Mané Garrincha, em Brasília. Já no dia 5 de agosto será realizada a abertura oficial das Olimpíadas, no Maracanã. 

Uma atleta que não estará no desfile das delegações é a campeã olímpica Sarah Menezes. Como a judoca defenderá seu título no dia 6 de agosto, precisará ser poupada da celebração inicial. "Hoje já estou vivenciando os jogos olímpicos, morando bem próximo de onde vai ser minha competição, fazendo toda a preparação no Rio, no Maria Lenk, toda a parte tática, técnica, física e psicológica", explica a judoca, nascida em Teresina.

"Recentemente voltamos do último treinamento de campo, que foi de extrema importância para o judô feminino, na Espanha. Hoje estamos fazendo a última concentração na Bahia, e no dia 24 vamos estar concentrados em Mangaratiba, já para os Jogos Rio 2016. No dia 4 entramos na Vila Olímpica", conta. "A minha expectativa é excelente. Estou me sentindo muito preparada e forte. Tenho capacidade de estar mais uma vez no pódio", destaca. 

A abertura oficial da Vila Olímpica está programada para o próximo dia 24, quando a delegação brasileira começará a ocupar os 18 andares do prédio de número 30, todo destinado aos anfitriões. São 72 apartamentos de 213m², com quatro quartos duplos e um individual, todos com suíte. A estrutura do prédio conta ainda com um mezanino com área de convivência para os atletas, equipada com televisores, videogames e jogos, além de 60 bicicletas. A cerimônia de boas-vindas à delegação brasileira na Vila será realizada no dia 31 de julho, às 11h30. 

Frio na barriga 

Novato na seleção olímpica, o judoca Alex Pombo conta que tem conseguido lidar com a expectativa da reta final. "Dá um friozinho na barriga quando paro para pensar, mas a gente procura manter os pés no chão e focar no treinamento, pensar um dia de cada vez para a ansiedade não ficar grande", conta. "A seleção masculina está se preparando da melhor forma, com todo mundo bem focado, então acredito que está evoluindo bastante. Esse período grande de preparação dá uma força maior para podermos chegar mais fortes nos jogos olímpicos", aponta o representante da categoria leve (-73kg). 

Para a capitã da seleção feminina de rúgbi, Paula Ishibashi, não é possível combater a ansiedade por completo, mas sim usá-la a favor da equipe. "Eu costumo dizer que a gente usa isso como preparação porque a pressão a gente já teve durante esses anos. A gente tem que levar como uma energia positiva, não como um peso", acredita. "A gente tinha no nosso CT uma contagem regressiva. Até outro dia faltavam 300 dias, de repente começou a ficar nas dezenas, então está chegando de verdade. Saiu a convocação oficial na sexta passada e a chave, tudo de uma vez, mas gente sabe o que tem que fazer. Estamos treinando e o resto é resolver em campo e aproveitar este momento", comenta. 

A equipe segue em treinamento em São José dos Campos, com grama natural, até a próxima semana, quando ainda disputa os últimos amistosos. "A gente tinha feito a parte física bem intensa e agora estamos focando na parte técnica e tática. Depois temos uns três ou quatro dias de folga e vamos para o Rio", conta. "Queremos sair no top 8 para poder brigar lá na frente nos outros dias", espera. 

Programação 

Na preparação final para as competições, o Brasil contará com estruturas exclusivas que funcionarão como base de treinamento para as modalidades. O Centro de Capacitação Física do Exército, na Urca, por exemplo, receberá atletas de boxe, lutas, handebol, vela, vôlei de praia, taekwondo e tiro com arco. Na Escola Naval, treinarão o nado sincronizado, o polo aquático e o tiro esportivo. O vôlei e a esgrima ficarão concentrados em colégios (CEC, na Barra Tijuca, e QI, no Riocentro, respectivamente), enquanto o judô seguirá para Mangaratiba antes de entrar na Vila Olímpica. 

"Estamos concentrados agora em Salvador. A gente volta no dia 20 para o Rio de Janeiro, finaliza o treinamento na Escola Naval, e no dia 1º a gente entra na Vila já a ponto de bala para competir", explica Lara Teixeira, da equipe de nado sincronizado. "Estamos com uma expectativa muito boa em relação às finais olímpicas, tanto na prova de duetos quanto na equipe. Óbvio que a gente busca a medalha, mas a gente está fazendo uma estimativa de entrar no Top 6 do mundo. Como é a primeira vez que a equipe compete em uma Olimpíada, esse vai ser um resultado histórico para a gente", acredita. 

Em sua terceira participação olímpica, Lara acredita que o Brasil chega mais preparado do que nunca para a edição carioca do evento. "Eu vi uma grande diferença entre a minha preparação para Pequim e para o Rio 2016. A gente teve um ganho enorme e as instalações estão de primeira qualidade, a gente não tem nada a reclamar. Acho que vai ser uma brilhante competição", aposta, sem esconder a ansiedade. "Eu não aguento mais treinar, quero competir. Estamos muito animadas para chegar à Vila, ver os competidores, o Maria Lenk com a cara dos Jogos, o clima olímpico", afirma. 

Preparação histórica 

Presente no encontro no Palácio do Planalto, o ministro do Esporte Leonardo Picciani destacou a preparação histórica do Brasil para os jogos olímpicos de agosto. "O Brasil se preparou como nunca para este ciclo olímpico, foi o maior investimento já feito pelo governo federal e pelo Ministério do Esporte em todas as edições dos Jogos", ressalta. "Sem dúvida nenhuma essa será a melhor participação do Brasil nas edições dos Jogos. E nós esperamos que nos próximos ciclos olímpicos nós possamos investir ainda mais e ter melhores resultados." 

O presidente em exercício Michel Temer também parabenizou os convocados e desejou sucesso aos brasileiros no Rio de Janeiro. "Além do empenho, vamos pedir um esforço e uma concentração absoluta, porque para nós é um grande momento do Brasil, um momento em que cinco bilhões de pessoas vão assistir aos jogos olímpicos, mas na verdade estarão vendo o Brasil", afirmou. "É um momento de confraternização universal. O esporte é um meio de integrar as pessoas e de fazê-las amigas, fraternas, que é o que estamos fazendo no Brasil. Quando os senhores puderem ostentar as medalhas, estaremos revelando o Brasil ao mundo, e revelando um Brasil onde a democracia é estável, onde as coisas estão caminhando muito bem, onde as instituições funcionam. Os senhores serão, por assim dizer, durante as Olimpíadas, os embaixadores do nosso país", discursou.

 

Fonte: Brasil 2016