Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 07 > Atingidos por microcefalia terão prioridade no programa

Notícia

Atingidos por microcefalia terão prioridade no programa

Minha Casa Minha Vida

Em cerimônia no Palácio do Planalto, ministro das Cidades, Bruno Araújo, diz que 200 mil unidades habitacionais estão disponíveis para atender afetados pela condição médica
por Portal Planalto publicado: 14/07/2016 12h22 última modificação: 14/07/2016 12h26
Foto: Carolina Antunes/PR Cerimônia de anúncio de nova norma do Programa Minha Casa Minha Vida

Cerimônia de anúncio de nova norma do Programa Minha Casa Minha Vida

Candidatos ao Minha Casa Minha Vida que tenham um integrante da família com microcefalia não precisarão mais participar de sorteio para ingressar no programa. O ministro das Cidades, Bruno Araújo, assinou hoje portaria que altera a forma de seleção para esses beneficiários.

A cerimônia que marcou a mudança nas regras do programa ocorreu no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (14). O presidente em exercício, Michel Temer, afirmou, durante o evento, que grande parte das mães com filhos nessa situação é, também, beneficiária do Bolsa Família.

Para Temer, essa característica reforça ainda mais a necessidade de um atendimento diferenciado a essas famílias. “Isso revela a importância de mantermos ou incentivarmos os programas sociais”, ponderou o presidente em exercício.

Temer determinou a prioridade no atendimento às famílias com crianças com microcefalia após ter sido informado do problema em reunião com o Núcleo Social do governo, formado pelos ministérios das Cidades, da Saúde e do Desenvolvimento Social e Agrário. “Como são cinco ou seis ministros em cada grupo, é mais fácil discutir e trocar ideias”, observou.

O ministro Bruno Araújo explicou que o programa tem 200 mil unidades habitacionais que estão disponíveis para destinação e que podem ser direcionadas a essas pessoas. “É um número muito substancial de famílias que precisam dar atenção integral aos filhos com microcefalia”, afirmou. Até o momento, relatou o ministro, 1.686 casos foram confirmados.

Araújo disse ainda que o programa atenderá a todas as famílias que tenham pelo menos um integrante com microcefalia, tendo a doença sido ou não causada pelo zica vírus. “A microcefalia pode ter outras causas que não a zica. Todas as famílias com integrante com microcefalia estarão dispensados do sorteio”, explicou. O programa também não fará diferenciação se a pessoa com microcefalia é criança ou adulto.