Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 06 > Temer participa de inauguração de fábrica de celulose no Paraná

Notícia

Temer participa de inauguração de fábrica de celulose no Paraná

Geração de empregos

Empreendimento gerará 1,4 mil empregos diretos e indiretos
por publicado: 28/06/2016 11h07 última modificação: 28/06/2016 13h34
Exibir carrossel de imagens Isac Nóbrega/PR Capacidade de produção da unidade é de 1,5 milhão de toneladas de celulose

Capacidade de produção da unidade é de 1,5 milhão de toneladas de celulose

O presidente em exercício Michel Temer participa, nesta terça-feira (28), da inauguração da nova fábrica de celulose da Klabin, maior produtora e exportadora de papéis do Brasil, localizada no município de Ortigueira, no Paraná. As obras da nova unidade, chamada de Puma, foram executadas em 24 meses. O investimento total no projeto foi de R$ 8,5 bilhões, sendo R$ 4 bilhões de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

“Foi um grande desafio transformar em realidade um projeto de tamanha complexidade. Executamos as obras com eficiência, segurança e agilidade, ao mesmo tempo em que investimos em treinamentos e capacitações para a população local, obras de infraestrutura e ações sociais, contribuindo para o desenvolvimento da região”, ressalta o diretor de Projetos e Tecnologia Industrial, Francisco Razzolini.

A Unidade Puma deve gerar cerca de 1,4 mil empregos diretos e indiretos, considerando as atividades industriais e florestais. Sua capacidade de produção será de 1,5 milhão de toneladas de celulose, dos quais 1,1 milhão de toneladas de celulose branqueada de fibra curta (eucalipto) e 400 mil toneladas de celulose branqueada de fibra longa (pínus).

A celulose da Klabin irá atender o mercado nacional, que hoje importa essa matéria-prima utilizada na fabricação de fraldas, absorventes, entre outros produtos.

A nova fábrica também terá duas das maiores turbinas para geração de energia elétrica já fabricadas no mundo para a indústria de papel e celulose. A unidade terá capacidade de produzir 270 MW, sendo 150 MW excedentes (o suficiente para abastecer uma cidade de 500 mil habitantes), elevando a fábrica à condição de autossuficiência em geração de energia elétrica. O raio médio entre a operação florestal e a nova fábrica é de 72 km, o que garante a competitividade e o baixo custo do transporte de madeira.

Ação socioambiental

A Klabin fez um amplo diagnóstico social da área diretamente afetada pela nova fábrica de celulose, os municípios paranaenses de Ortigueira (sede da nova fábrica), Imbaú e Telêmaco Borba. Com apoio de uma consultoria especializada, a empresa criou o Plano de Ação Socioambiental, que contempla projetos nas áreas de saúde, educação, cultura, lazer, meio ambiente, agricultura familiar, empreendedorismo, assistência social, além de obras de infraestrutura urbana e prestação de serviços.

“Os investimentos sociais reforçam o compromisso que temos em nossa Política de Sustentabilidade de praticar a responsabilidade social nas comunidades nas quais atuamos”, destaca Razzolini.

Confira a galeria de fotos da cerimônia de inauguração.

Fonte: Portal Planalto