Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 06 > Empresários afirmam que economia já dá sinais de retomada de crescimento

Notícia

Empresários afirmam que economia já dá sinais de retomada de crescimento

Recuperação da Economia

Em evento que reuniu mais de 500 empresários, representantes do comércio afirmaram que a confiança na economia voltou com a chegada do governo em exercício
por publicado: 30/06/2016 14h12 última modificação: 30/06/2016 14h12

Representantes de Associações Comerciais que participaram de uma reunião com o presidente em exercício Michel Temer, na manhã desta quinta-feira (30), demonstraram apoio às iniciativas que o governo têm tomado na área econômica. Durante o encontro, eles afirmaram que já há uma retomada de crescimento e de confiança no País.

"Já há uma retomada do desenvolvimento por força da retomada de confiança, que o empresário vive de expectativa para o futuro. Se a expectativa não é boa, ele (o empresário) não investe, ele não cria emprego. Se essa expectativa muda, tudo isso vai acontecer e o país vai voltar a se desenvolver", explicou o presidente da Associação Comercial da Bahia, Luiz Fernando Queiroz.

Para os empresários, o Brasil passa por um momento de transição, na qual a participação do setor comercial será importante. Por esse motivo, o presidente da Associação Comercial do Rio Grande do Sul, Norton Luiz Lenhart, considerou o encontro com o presidente relevante para restabelecer a cooperação entre o governo e o empresariado.

"Esse encontro de negociação é o início de mostrarmos algo aos órgãos constituídos, a importância do nosso setor e o quanto nós podemos contribuir e colaborar para que a gente possa voltar o mais rapidamente à normalização da vida nacional", afirmou.

O compromisso em ajudar a recuperar a economia foi ressaltado também pelo presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro, Paulo Protázio: "Queremos recuperar nossa imagem e garantir emprego. Na nossa área, principalmente por conta da demanda hoje de serviços cada vez mais sofisticada, cada vez mais ampla, esse é o lugar onde o Brasil talvez possa recuperar a atividade do emprego mais rapidamente".