Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 06 > Diretor da OMC elogia empenho do governo para reverter crise econômica

Notícia

Diretor da OMC elogia empenho do governo para reverter crise econômica

Novo Governo

Para o diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, reunião serviu para aprofundar a conversa entre o governo brasileiro e a OMC. “Continuamos sempre interessados em avançar no diálogo com o Brasil, facilitando a inserção do País no comércio internacional”
por Portal Planalto publicado: 13/06/2016 17h20 última modificação: 13/06/2016 17h24
Foto: Beto Barata/PR Segundo Azevedo, a reunião serviu para aprofundar a conversa entre o governo brasileiro e a OMC

Segundo Azevedo, a reunião serviu para aprofundar a conversa entre o governo brasileiro e a OMC

Após reunião com o presidente em exercício Michel Temer, nesta segunda-feira (13), no Palácio do Planalto, o direto-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, elogiou o empenho do governo brasileiro para reverter o cenário de recessão econômica no País.

“Ninguém no Brasil, muito menos no governo brasileiro, ignora essa realidade. Estão todos trabalhando para reverter isso no mais curto prazo possível porque é do interesse do País e do povo brasileiro, e o que a OMC puder fazer para ajudar nesse período, nós faremos.”

Segundo o diretor-geral, a reunião serviu para aprofundar a conversa entre o governo brasileiro e a OMC. “Continuamos sempre interessados em avançar no diálogo com o Brasil, facilitando a inserção do País no comércio internacional.”

Acesse aqui a galeria de fotos oficiais deste evento

Sobre matérias veiculadas na imprensa em que o ministro das Relações Exteriores, José Serra, estaria criticando a OMC, Azevêdo se disse “perplexo”. “Não sei de onde veio isso. Até conversei com ele [Serra] recentemente, nem eu nem ele entendemos isso. Nós falamos exatamente a mesma coisa, que o Brasil tem de procurar avançar no comércio internacional e na abertura de mercados”, esclareceu o diretor-geral.

“Acho muito importante que fique claro que não tem nenhuma discrepância de visão entre eu e o ministro das Relações Exteriores. Estamos perfeitamente afinados”, ratificou.

Fonte: Blog do Planalto