Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Notícias > 2016 > 06 > Brasil e Paraguai anunciam acordo para intensificar relações comerciais

Notícia

Brasil e Paraguai anunciam acordo para intensificar relações comerciais

Relações internacionais

Anúncio foi feito pelos ministros das Relações Exteriores do Brasil, José Serra, e do Paraguai, embaixador Eladio Loizaga, após reunião de trabalho em Brasília, nesta quarta-feira (8)
por Portal Planalto publicado: 08/06/2016 20h46 última modificação: 09/06/2016 17h24
Foto: Beto Barata/PR Antes da reunião no Itamaraty, o embaixador Loizaga se encontrou com o presidente interino Michel Temer no Palácio do Planalto

Antes da reunião no Itamaraty, o embaixador Loizaga se encontrou com o presidente interino Michel Temer no Palácio do Planalto

Uma ponte ligando o Brasil e o Paraguai será construída sobre o Rio Paraguai, permitindo o transporte entre as cidades de Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul, e Carmelo Peralta, no lado paraguaio. Os serviços aéreos disponíveis entre os dois países também serão intensificados, para facilitar o fluxo de passageiros e cargas.

O anúncio foi feito pelos ministros das Relações Exteriores do Brasil, José Serra, e do Paraguai, embaixador Eladio Loizaga, após reunião de trabalho em Brasília, nesta quarta-feira (8).

Segundo Loizaga, a visita expressa o desejo de seguir aprofundando a relação entre as duas nações. “[A ponte] permitirá que tenhamos conexão interoceânica entre Atlântico e Pacífico, que sem dúvida trará benefícios para os usuários […]. Esse acordo, estamos seguros, servirá para desenvolver toda essa zona e ter maior competitividade em tudo que implica na produção, tanto do Brasil quanto do nosso País”, declarou.

Para Serra, o encontro mostra a importância do Paraguai para as relações exteriores brasileiras, algo que foi ressaltado na audiência entre o presidente em exercício Michel Temer e Loizaga, também nesta quarta-feira (8).

“As relações com o Paraguai, para nós, são centrais, fundamentais. Não apenas porque compartilhamos uma fronteira vasta ou porque 300 mil brasileiros vivem no Paraguai, mas também apontando para o futuro”, destacou.

Mercosul
A nova ponte internacional permitirá também a ligação rodoviária entre o porto de Santos, em São Paulo, e Iquique, em Antofagasta, no Chile, o que ampliará a conexão interna do Mercosul e do grupo com o resto do continente.

A visita do chanceler paraguaio ao Brasil faz parte de uma agenda de intensificação das relações com os países-membros do Mercosul, priorizada pela gestão do presidente interino, Michel Temer.

No fim de maio, o presidente da Argentina, Mauricio Macri, recebeu o ministro José Serra em Buenos Aires para a criação de um grupo de coordenação política entre as duas nações.

Agenda Bilateral
Os chanceleres também discutiram outros temas relevantes aos dois países, além de problemas que exigem esforço conjunto para a superação, como segurança das fronteiras e combate ao comércio ilegal, ao tráfico de drogas e de armas.

“Há o narcotráfico e o tráfico de armas, mas há também o tráfico ilegal de mercadorias. Este governo dará uma importância enorme a isso porque implica basicamente perda de empregos sem gerar receita tributária. É o pior que pode acontecer com uma mercadoria: não emprega e não rende impostos”, ressaltou Serra.

Além da integração física, a parceria comercial também será fortalecida, assegurou o ministro brasileiro. O Brasil é o segundo maior investidor no Paraguai, além de ser o principal destino das exportações paraguaias e também o principal fornecedor de produtos ao país. No ano passado, o intercâmbio bilateral entre os dois alcançou US$ 3,3 bilhões.

Encontro com Temer
Antes de se encontrar com Serra, o embaixador Loizaga fez uma visita de cortesia ao presidente interino Michel Temer. No encontro, o chanceler reafirmou a confiança do governo paraguaio na democracia brasileira.

O ministro e o presidente também frisaram a importância das relações bilaterais e intra-Mercosul e discutiram, especificamente, o interesse comum de intensificar ações de segurança e de integração produtiva na região de fronteira.

Fonte: Blog do Planalto