Nota à imprensa

 

 Resposta à revista Crusoé

 

A Crusoé é recente no mercado brasileiro de revistas digitais. Mas algumas informações que publica parecem se confundir com antigos textos da revista Contigo. Tratam mais de enredos de fofoca do que de realidade. A nota “Temer e a mala de R$ 5 milhões” é completamente fora da realidade, maliciosa e sem base em fatos. Sua resultante é uma negativa categórica da fonte citada de forma irresponsável, que nega um boato sem nenhum fundamento. O título induz a um raciocínio que não se confirma no desenrolar do texto.

Depois cita críticas do presidente ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Não é verdade. E se baseia novamente em fofocas, intrigas e boatos disseminados por falta de assunto de relevo para publicar.

Depois procura demonstrar contradições no depoimento de Maristela Temer, que inexistem. Mas as contradições da investigação são ignoradas. A principal delas é que o inquérito é para investigar o decreto dos portos, publicado no ano de 2017, e que teria gerado benefícios ao presidente. Aponta o suposto pagamento a amigo do presidente durante o período eleitoral de 2014, três anos antes da publicação do decreto. E relacionam testemunha que fala ter recebido pagamentos pela obra já em 2013, ou seja, com quatro anos de antecedência à publicação do ato no Diário Oficial. Ao inquérito faltam pé, cabeça e tronco. É matéria de pura especulação.

 

 

 

 

Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República

 

Reportar erro