Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Entrevistas > Entrevistas concedidas pelo presidente Michel Temer > Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Michel Temer, à ONU News - Nova York/EUA

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Michel Temer, à ONU News - Nova York/EUA

por Portal Planalto publicado 19/09/2017 15h40, última modificação 19/09/2017 15h45

Nova York-EUA, 19 de setembro de 2017

 

 

Jornalista: Estamos aqui com o presidente Michel Temer, ONU News em Português. Presidente, prazer voltar a falar com o senhor, o Senhor falou de temas importantes para o Brasil e para o mundo. O senhor poderia nos dizer qual foi a mensagem que o senhor deu à Assembleia Geral?

 

Presidente: Uma mensagem. É uma tríade, são três pontos: paz, desenvolvimento e segurança. Foram os temas centrais que nós abordamos em nosso discurso e para fazê-lo, nós verificamos, ou melhor, transmitimos a ideia de que a política brasileira externa é uma política universalista. Uma política que tenta abranger todos os temas universais, entre eles, naturalmente, o combate acentuado ao terrorismo, por exemplo, a busca de soluções pacíficas no Estado Palestino e Israel, da criação dos dois Estados, que, aliás, é uma resolução da ONU; a aproximação muito grande que nós temos com os países da África e a integração muito grande que nós temos com os países da América do Sul. Veja o caso do Mercosul, especialmente agora que nós estamos buscando também uma aliança com os países da Aliança para o Pacífico. Então, tem integração absoluta entre os países latino-americanos.

            Revelamos, também, preocupação com o que acontece institucionalmente na Venezuela, sem embargo de termos dito com muita ênfase de nossa amizade com o povo venezuelano, e a nossa relação institucional de Estado para Estado, ou seja, o Brasil e a Venezuela. Estamos preocupados com o que está acontecendo internamente na Venezuela.

Buscamos, naturalmente, a pronta resolução para o conflito sírio, por exemplo, que se alonga por muitos anos e que não tem tido uma solução.

Enfim, estou dando aqui alguns exemplos dessa política universalista que nós procuramos transmitir, pautados esses três dados que eu acabei de apontar: paz, segurança e desenvolvimento.

 

Jornalista: E amanhã o senhor assina um tratado muito importante para o Brasil?

 

Presidente: Desnuclearização. Aliás, é o impedimento da utilização de artefatos nucleares para fins não pacíficos. Veja que no Brasil esta não é uma política de governo, é uma política de Estado que a Constituição brasileira estabelece que qualquer questão, qualquer atividade nuclear, só pode utilizar para fins pacíficos. Nós estamos dando um exemplo, penso eu, para o mundo, sem embargo de todos tratados que nós já assinamos e sem embargo do trabalho que nós fizemos para estrutura de vários países no tratado de (inaudível).


Jornalista: Presidente, boa sorte e muito obrigada pela entrevista (inaudível). Obrigada.

registrado em: ,