Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Entrevistas > Entrevistas concedidas pelo presidente Michel Temer > Entrevista do presidente da República, Michel Temer, após inspeção e assinatura de Atos na Barragem de Jucazinho

Entrevista do presidente da República, Michel Temer, após inspeção e assinatura de Atos na Barragem de Jucazinho

por Portal Planalto publicado 09/12/2016 13h20, última modificação 12/01/2017 14h31

Surubim-PE, 09 de dezembro de 2016

 

Estou visitando aqui a obra e até anunciando duas coisas: a primeira, são R$ 12 milhões que estamos liberando agora para recompor a rachadura que se verificou aqui; mais R$ 30 milhões para as obras que já estão em andamento. Então, nós estamos liberando essas verbas, exata e precisamente, para consertar aqui a barragem e, ao mesmo, tempo esperando as chuvas.

 

Jornalista: Presidente, estamos  tendo uma seca muito severa, Pernambuco vai entrar na prioridade do seu governo, do ministério?

 Presidente: Já é prioridade, como todo o Nordeste. Vocês sabem que nós estamos dedicadíssimos a fazer com que talvez nesses dois anos de governo, penso que sim, nós completemos por inteiro a obra da transposição. Agora, o eixo leste, podemos talvez inaugurar em fevereiro, março; e o eixo norte, logo em seguida. De modo que são duas obras. Depois vamos cuidar dos ramais também e especialmente da revitalização do rio São Francisco. Nós temos um programa lá chamado Novo Chico, que visa a exatamente - assim como o Velho Chico -, o Novo Chico visa precisamente a revitalizar o rio São Francisco para ter água de todos os lados.

 Jornalista: Como o senhor está vendo toda essa onda  de protestos que está acontecendo no Brasil por conta da PEC, por conta da Previdência?

 Presidente: Você sabe que é uma coisa boa?

 Jornalista: São medidas muito impopulares, não é?

 Presidente: São, não são impopulares. São impopulares hoje, para serem populares amanhã, esta é a grande verdade. Alguém tem que ter a coragem de enfrentar o problema seríssimo que o Brasil está atravessando. Tanto que quando vocês dizem "medidas impopulares", podem ser impopulares hoje, mas serão populares amanhã. Não tenho a menor dúvida disso. Elas são, isto sim, indispensáveis e esta indispensabilidade vai se revelando pouco a pouco, especialmente com o apoio do Congresso Nacional e com o apoio que, certa e seguramente, nós teremos de vários setores sociais.


Ouça a íntegra (01min48s) da entrevista do presidente.