Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Entrevistas > Entrevistas concedidas pelo presidente Michel Temer > Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Michel Temer, na chegada ao hotel na Argentina - Mendoza/Argentina

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Michel Temer, na chegada ao hotel na Argentina - Mendoza/Argentina

por Portal Planalto publicado 20/07/2017 23h45, última modificação 21/07/2017 00h08

 

Mendoza/Argentina, 20 de julho de 2017

 

 

Jornalista: Presidente, com esse aumento de impostos anunciados hoje no Brasil, não tem a chance de atrapalhar um pouco dessa retomada da economia que ainda está um pouquinho devagar?

 

Presidente: Ao contrário. Você sabe que isto é o fenômeno da responsabilidade fiscal. E esta responsabilidade fiscal é que importou neste pequeno aumento do PIS/Cofins. Exatamente para manter, em primeiro lugar, a meta fiscal que nós estabelecemos. Em segundo lugar, para assegurar o crescimento econômico que pouco a pouco vem vindo. Vocês estão percebendo que, aos poucos, o crescimento vem se revelando. Então era preciso estabelecer este aumento do tributo para manter esses pressupostos que eu acabei de indicar.

 

Jornalista: (incompreensível) este aumento foi necessário pelo fato de outras medidas que previam a arrecadação de impostos não terem sido aprovadas no Congresso em função de toda a turbulência pela qual passou o Congresso?

 

Presidente: Não. Acho que aconteceu o seguinte: o Congresso sempre colaborou   conosco. Veja que as reformas todas que foram feitas, foram feitas com o apoio dos parlamentares, dos deputados e senadores. E nós, vocês se lembram que nós abandonamos logo no início a história da CPMF, que era algo que estava no horizonte de todos. Quando nós assumimos, nós não levamos a efeito esta matéria, mas agora levamos a efeito um pequeno aumento que diz respeito apenas aos combustíveis. Não diz respeito, por exemplo, aos serviços.

 

Jornalista: Dá para explicar normalmente para a população… a população compreenderá?

 

Presidente: A população vai compreender porque este é um governo que não mente, não dá dados falsos. É um governo verdadeiro, então, quando você tem que manter o critério da responsabilidade fiscal, a manutenção da meta, a determinação para o crescimento, você tem que dizer claramente o que está acontecendo. O povo compreende.

 

Jornalista: E a Cúpula do Mercosul, presidente? Sobre o Mercosul, presidente…

 

Presidente: ... porque ninguém pergunta do Mercosul. Amanhã o Brasil terá a honra de assumir a presidência do Mercosul, muito bem levada adiante pelo presidente Macri durante o primeiro semestre, e nesse segundo semestre caberá ao Brasil. Nós estamos, na verdade, reformulando o Mercosul. Vocês sabem que a última reunião se deu em 2015, e agora nós estamos retomando essas reuniões. Eu espero continuar o trabalho que o presidente Macri desenvolveu com tanta propriedade ao longo desse semestre.

 

Jornalista: (incompreensível) em relação à Venezuela?


Presidente: A Venezuela, nós todos temos uma relação institucional com o Estado venezuelano, temos grande preocupação com o povo venezuelano e grande amizade com o povo venezuelano. Agora ao longo do tempo, tanto agora sob a presidência do Mercosul, do presidente Macri, como sob a minha presidência, nós vamos continuar trabalhando na redemocratização do Estado venezuelano.

 

Ouça a íntegra da entrevista (03min12s) do presidente Michel Temer