Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Michel Temer, após cerimônia de Posse do Ministro de Estado Extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann - Brasília/DF

Palácio do Planalto/DF, 27 de fevereiro de 2018

Presidente: Olha aqui, em primeiro…, em primeiro lugar, eu quero registrar o sucesso desta solenidade, porque ela revela um apoio muito grande à tese da criação da segurança pública, para não ficarmos, apenas, na chamada Intervenção cooperativa, que nós fizemos lá no Rio de Janeiro.

            Já, no Rio, nós anunciávamos que iríamos criar, de igual maneira, o Ministério da Segurança Pública. E é extraordinária a receptividade que o nosso ministro Raul Jungmann tem no Congresso Nacional e em todos os setores.

            Portanto, o que nós estamos pedindo agora, sem dizer que vamos, naturalmente, erradicar toda insegurança no País, porque isso não se faz de um dia para o outro, mas se faz com a coordenação entre a União, os estados e os municípios e os poderes do estado igualmente a sociedade civil.

            Portanto, eu até aproveito para pedir a sociedade civil que participe intensamente desta questão de controle de segurança. Como fazê-lo? Fazê-lo não só fazendo reuniões nos seus bairros, mas se souber alguma coisa, o disque-denúncia, que é anônimo, sempre é extremamente útil em todos estados brasileiros, de igual maneira na União Federal.

Então, eu penso que esta criação hoje do Ministério da Segurança Pública, estou encaminhando a Medida Provisória ao senador Eunício Oliveira, presidente do Congresso Nacional, tenho impressão que lá também receberá a maior acolhida, basta verificar o número de deputados e senadores que aqui compareceram.

E, portanto, vamos trabalhar.

 

Jornalista: O senhor vai fazer em outro estado, algum outro estado, presidente, por gentileza?

 

Presidente: Isso deixa eu dizer, a segurança pública, o Ministério da Segurança Pública vai cuidar dessas questões. Eu chamei, convidei os senhores governadores de estado, para juntamente com o Raul Jungmann, nós fazermos uma reunião logo agora na quinta-feira. Nós vamos começar a tratar dessa questão dos estados.

Aí, pontualmente, vamos verificando caso a caso.

 

Jornalista: E a recomendação sobre Lava Jato, já que ministro, o novo ministro…

 

Presidente: Ah, ela continua. Não volte nesse assunto, não volte nesse assunto, porque isso daí vem sendo tranquilamente levado adiante. Não há um movimento sequer com vistas à interrupção.

            Aliás, vamos registrar um fato: segurança pública é combater a criminalidade. Que tipo de criminalidade? Aquela, digamos, mais, podemos dizer assim, vivenciada, tráfico de drogas, a bandidagem em geral, e, evidentemente, a corrupção. Esta é a função do Ministério da Segurança Pública.

registrado em:
Reportar erro