Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Entrevistas > Entrevistas concedidas pelo presidente Michel Temer > Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República em exercício, Michel Temer, após visita ao Parque Olímpico - Rio de Janeiro/RJ

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República em exercício, Michel Temer, após visita ao Parque Olímpico - Rio de Janeiro/RJ

por Portal Planalto publicado 14/06/2016 15h30, última modificação 23/06/2016 18h53


Rio de Janeiro-RJ, 14 de junho de 2016

 

Presidente: Eu quero fazer uma declaração inaugural que é, digamos assim, o meu entusiasmo ao visualizar as obras que foram realizadas neste Parque Olímpico e em benefício do Rio de Janeiro, cidade, em benefício do estado do  Rio de Janeiro e em benefício do Brasil. Como vocês sabem, eu tive uma reunião com o presidente também do COI e quando ele registrou um fato que todos sabemos, ou seja, 5 bilhões de pessoas, mais ou menos, acompanharão a abertura dos Jogos Olímpicos e, naturalmente, acompanharão os Jogos Olímpicos. Ou seja, 5 bilhões de pessoas estarão com os olhos voltados para o nosso País. Por isso, foi importantíssimo ter eu vindo aqui com praticamente boa parte do ministério para conhecer as obras e, sobre conhecer as obras, também, evidenciar como evidenciamos agora a pouco em reunião com prefeito, governador, presidente da Assembleia Legislativa, ministros, ministros do Esporte e Turismo e todos, que nós vamos colaborar. Todos iremos colaborar, não apenas com palavras, mas também nas necessidades de natureza financeira, também para com essas necessidades. Nós fazemos isso com a  absoluta convicção de que estamos produzindo um fato extraordinário para o Brasil e para o mundo.

 

Jornalista: Inaudível

 

Presidente: A linha 4 do metrô, estão sendo finalizados os estudos financeiros. Já combinei com o governador Dornelles, nós vamos ter uma conversa logo mais a diante para nós equacionarmos em definitivo a questão do metrô, inclusive.

 

Jornalista: Presidente, essa ajuda financeira será de quanto?

 

Presidente: Eu não tenho dados ainda, mas até o começo da semana que vem nós teremos esses dados.

 

Jornalista: Inaudível

 

Presidente: Nem minimamente. Vocês sabem que o Brasil não vive em função daqueles que o dirigem, mas vive em função do seu povo. E é em nome do povo que nós todos estamos trabalhando.

Você sabem que, desde o primeiro momento em que eu assumi, eu disse: olha, o que importa é o Brasil. E portanto, ao assumir, eu tomei providências como se fora definitivo, e sendo definitivo, ou sendo tomado como definitivo, eu fiz e estou fazendo tudo aquilo que possa beneficiar o Brasil e, no particular, beneficiar as Olimpíadas.

O povo não está, o povo do mundo não estará preocupado com isso, estará preocupado com a pujança do Brasil revelada precisamente pela abertura dos Jogos Olímpicos.

 

Jornalista: Presidente, o presidente do COI falou que a Olimpíada é o momento de unir o País. O senhor gostaria que a presidente afastada Dilma estivesse na cerimônia de abertura como uma forma de união?

 

Presidente: Isto é dá organização das Olimpíadas. Eu faço tudo aquilo, aliás, não é de hoje, que eu falo em pacificação do País e na unidade do País. O que não podemos mais ter é brasileiros disputando com brasileiros. Aliás, isso foge a tradição sentimental do nosso povo. Nosso povo sempre teve uma unidade muito grande. Eu acho que as Olimpíadas revelarão precisamente esta possibilidade de reunificação do pensamento nacional.

 

Jornalista: O senhor gostaria que ela estivesse presente então?

 

Presidente: Para mim tanto faz. Eu não tenho nenhuma objeção. Evidentemente que não tenho.

 

Jornalista: Como o senhor avalia o posicionamento do Ministério Público, que defende como punição ao deputado Eduardo Cunha a perda dos direitos políticos por 10 anos e devolução de R$ 30 milhões aos cofres públicos?

 

Presidente: Eu vou pedir licença para dizer que está é uma matéria do Judiciário e do Legislativo. E você sabe que, desde o primeiro momento, eu disse logo no momento em que eu assumi, eu disse: olha nós precisamos que reconstitucionalizar o País. Ou seja, precisa acabar com essa história do Executivo se meter nas coisas do Judiciário ou se meter nas coisas do Legislativo.

Nós temos funções determinadas de cada Poder e cada Poder vai exercer essas funções. Se eu respondesse à essa questão estaria interferindo, como presidente da República, em uma matéria que não cabe ao Executivo.

 

Ouça a íntegra da entrevista (04min10s) do Presidente em exercício, Michel Temer