Discurso do Presidente da República, Michel Temer, durante Cerimônia do Projeto de Lei que Institui no Calendário Brasileiro o Dia Nacional da Imigração Chinesa

Brasília-DF, 26 de junho de 2018

 

            Eu quero cumprimentar o Fausto Pinato, o autor do projeto,

O Perondi, o Darcísio Perondi, o relator,

Nelson Marquezelli,

A senhora embaixatriz,

Em nome de quem cumprimento todos os integrantes do corpo diplomático, e o senhor (...), primeiro integrante chinês registrado em Brasília, em nome de quem naturalmente eu cumprimento todos os membros da comunidade sino-brasileira aqui presentes.

E quero dizer que é com grande alegria que nós instituímos o Dia Nacional da Imigração Chinesa, graças a esse trabalho incansável do deputado Fausto Pinato. Eu percebi, até faço aqui um parênteses, quando nós fomos à China, juntamente - viu, Marquezelli? - com Pinato e o Perondi, eu verifiquei um entusiasmo extraordinário, ele irradiava felicidade enquanto circulava pela China, de modo que o Pinato merece mais uma vez um aplauso de todos, assim como Perondi.     

Aliás, eu registro que ainda antes da nossa Independência, D. João VI promoveu, interessante, promoveu a vinda de centenas de chineses para o Rio de Janeiro. Quase 100 anos depois, em 15 de agosto de 1900 – que é uma data que hoje transformamos em marco –, a Hospedaria de Imigrantes, em São Paulo, começou a receber seus primeiros imigrantes chineses.

Portanto é antiga, antiquíssima, a presença chinesa no Brasil. Nós aprendemos, naturalmente, a apreciar sua cultura milenar, sua gastronomia, sua medicina. Aprendemos a apreciar sua diligência, seu espírito empreendedor. Até, se me permitem, há um livro do Kissinger, “Sobre a China”, que é uma coisa maravilhosa, ele descreve com riqueza de detalhes toda a civilização chinesa desde o início até os dias atuais. Eu já soube de muita gente que, depois de ler esse livro, foi aprender mandarim, porque a China tem essa pujança extraordinária.

     E nós temos hoje, como disse o Pinato, relações das mais dinâmicas e profícuas. Não por acaso, como presidente e vice-presidente da República, eu estive na China quatro vezes desde 2013. Foi o primeiro país, aliás, que visitei como presidente, por ocasião de Cúpula do G20. A China, também sabemos todos, é nosso principal parceiro comercial, naturalmente fonte de crescer de intensos investimentos. Nós temos uma parceria estratégica global que vai da cooperação espacial em diálogo e em instâncias, por exemplo, com o Brics. Aliás, muito proximamente nós teremos agora em julho uma região do Brics, mais uma vez terei a oportunidade de encontrar sua excelência presidente Xi Jinping.

É uma relação, portanto, que nós queremos cada vez mais próxima, sempre a serviço do nosso desenvolvimento mútuo e sempre a serviço do bem-estar de brasileiros e chineses.

E um dos pilares dessa aproximação deve ser exatamente a conexão entre pessoas, exatamente a dimensão humana. E nós estamos naturalmente trabalhando já há bastante tempo para multiplicar iniciativas em educação, cinema, esportes, turismo.

Portanto, eu digo aos senhores, com a maior tranquilidade, eu sou filho de imigrantes, eu sou a primeira geração e tenho sempre a satisfação de enaltecer o nosso país, o Brasil, para a abertura. O Brasil é precisamente isto: é um país multicultural, multiétnico. É um país que tem na diversidade a sua maior riqueza. E é um país que sempre soube – e naturalmente sempre saberá – acolher aqueles que buscam em nossas terras construir ou reconstruir suas vidas.

E, agora que o dia 11 de agosto foi instituído como marco para revelar a imigração chinesa, que seja mais um motivo para nós celebrarmos nossa história. Parece de pouco significado a circunstância de ter um dia especial, mas, evidentemente, tenho absoluta convicção que a cada 15 de agosto haverá manifestações na Câmara dos Deputados, no Senado Federal, nas Assembleias Legislativas e evidentemente a comunidade chinesa, pelos seus representantes, poderá também incentivar as reuniões culturais nos vários municípios brasileiros, de modo que instituir um dia não é uma simples formalidade; é uma realidade concreta, palpável, sensível, é algo que as pessoas vão estabelecer, ou estabeleceram, ou estabeleceu o Pinato para marcar indelevelmente a história da presença chinesa no nosso país.

Portanto, meus parabéns a todos e cumprimentos ao Pinato.       

 

Ouça a íntegra do discurso (06min04s) do Presidente.

Reportar erro