Discurso do Presidente da República, Michel Temer, durante Cerimônia de Anúncio da Ampliação dos Saques do Fundo PIS/Pasep

Brasília/DF, 13 de junho de 2018

 

Bem, meus amigos, eu quero cumprimentar o Torquato Jardim, o Joaquim Silva e Luna, o Helton Yomura, o Marco Jorge,

Senador Lasier Martins,

Deputado Federal, Rodrigo de Castro, o Mauro Pereira,

O Gleisson Rubin, Secretário Executivo no Ministério do Planejamento,

O Caffarelli, o Nelson Antônio de Souza,

Os senhores e senhoras membros do Conselho Nacional do Trabalho, secretário de Estado do Trabalho, superintendentes regionais do Trabalho.

E, naturalmente, as senhoras e senhores cotistas e beneficiados de ampliação dos saques do fundo PIS/Pasep.

 

E aqui eu quero, em primeiro lugar, dizer o seguinte: eu acho mais do que importante, importantíssimo, que haja, Caffarelli, Nelson, uma grande divulgação deste fato, porque, veja, são aqueles que tiveram esses depósitos até em 1988, eu creio que alguns já até devem ter falecido, mas, evidentemente, que o seu espólio pode vir para pleitear também estas importâncias.

Então é preciso divulgar demais, porque, é interessante, mesmo no caso do Fundo de Garantia, eu me recordo bem, eu até naquela oportunidade gravei vários vídeos para botar nas redes sociais, hoje as redes sociais têm uma repercussão extraordinária, mas, mesmo assim, lá no final, na Caixa Econômica, que realmente chegamos aos 43, 44 bilhões, que foi uma injeção extraordinária na economia brasileira.

De outra parte, veja que coisa curiosa, são valores, valores depositados até [19]88, não é isso? Entretanto, estão lá paralisados. Na verdade, se me permitem a expressão entre aspas, “engordando um pouco os haveres da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil”, em quando, na verdade, deve, mais uma vez entre aspas, “engordar” aqueles que “engordaram financeiramente” aqueles que são beneficiários do PIS, de um lado, e do Pasep, de outro lado. Mas, então, é preciso de uma grande divulgação, evidentemente que aqui já haverá uma grande repercussão daqueles que aqui estão, mas é preciso difundir pelas redes sociais, quem sabe fazer alguns anúncios pela televisão, por meio dos principais jornais, para chamar a todos. Porque, é interessante, muitas vezes a pessoa diz: “será que eu tenho? Eu tenho pouco, não vou lá” - não é, senador? - “não vou lá buscar” etc. Isso não é bom, porque vejam que o objetivo central deste nosso ato é precisamente mobilizar e movimentar a economia brasileira.

Então, aqueles que lá vão pegar os seus haveres, que são seus, poderão injetá-los na economia, e são valores preciosos. Convenhamos, nós comemoramos muito os 44 bilhões do Fundo de Garantia, mas aqui são quase 38, 39 bilhões de reais que podem não só satisfazer aqueles que vão buscá-los mas também inserir-se na economia brasileira. Por isso que, quando nós estamos no governo, tudo que nós fazemos tem este objetivo singelíssimo, mas da maior importância, que é tentar melhorar a vida das pessoas. E é isso que nós, na verdade, estamos fazendo hoje.

Portanto é com especial, digamos assim, alegria cívica que nós anunciamos essa nova etapa dos saques do PIS/Pasep. Porque eu verifico que uma boa parte já foi sacada, foram quase 5 milhões, mas remanescem 34 milhões, 33 milhões, então, devemos, digamos, divulgar muito.

E estou seguro que esta medida será muito bem recebida pelas famílias brasileiras. Poderá ajudar a pagar uma dívida, realizar uma pequena reforma ou levar adiante, quem sabe, um projeto eventualmente adiado.

Portanto, esses 39 bilhões que estamos liberando não são mais do que recursos do próprio trabalhador. Não são nem da Caixa Econômica, nem do Banco do Brasil, nem do governo. Então nós devemos incentivar e divulgar a necessidade de que todos possam comparecer para sacar esses valores.

De modo que eu quero cumprimentá-los a todos. Em palavras muito rápidas. Quero cumprimentá-los a ambos oradores pelo didatismo na fala, foi uma coisa muito precisa, muito objetiva, muito concreta, muito palpável. Eu acho que esta fórmula deverá ser reproduzida, porque as pessoas se esclarecerão. Isso é como o professor. O professor, você escreve na lousa, escreve no papel, fala uma vez, fala duas vezes, fala três vezes, porque é assim que as pessoas incorporam o que você está dizendo.

Então isto que aqui foi apresentado, volto a dizer, deve ser substancialmente divulgado, esclarecido, para que todos tenham acesso às contas.

Meus cumprimentos, portanto, e vamos em frente.

 

 

Ouça a íntegra (04min58s) do discurso do Presidente. 

registrado em: ,
Reportar erro