Discurso do Presidente da República, Michel Temer, durante a Cerimônia de Aprovação das metas da RenovaBio

 

Palácio do Planalto, 05 de junho de 2018

 

Quero cumprimentar os ministros todos, que já foram nominados.

Cumpimentar o senador Fernando Bezerra, o ex-ministro e deputado Fernando Bezerra Coelho Filho,

A Marinha Raupp,

Enfim, cumprimentar a todos os senhores e senhoras.

 

E como disse o Moreira, nós celebramos hoje o Dia Internacional do Meio Ambiente. Mas não se trata de uma celebração apenas formatada por palavras. Trata-se de uma celebração formatada por atos concretos. Como este que nós acabamos de assinar, aprovando as metas do RenovaBio, uma política nacional de biocombustíveis, interessante, desejada, postulada, ansiada, buscada, pleiteada há muito tempo, sem que, convenhamos, ninguém chegasse a bom termo nessa política.

E nós acabamos levando adiante e hoje nós consolidamos, já que no passado, em Ribeirão Preto, assinamos o primeiro ato normativo referente a essa matéria. E, repetindo um pouco o que aqui foi dito, nós vamos reduzir em 10% a emissão de gases de efeito estufa. Isso me dá muito conforto por que, Edson Duarte, ao lado do Zequinha do Sarney Filho, do ministro Sarney Filho, nós fomos um dos primeiros a depositar o Acordo de Paris na ONU, logo depois da China até nós depositamos o nosso instrumento de adesão à redução dos gases do efeito estufa etc.

E também vamos reduzir, estou repetindo, de 11,5% para 7% a nossa dependência externa de combustíveis. O Brasil estará menos exposto, e esta frase é importante, à variação internacional do preço do petróleo e às flutuações cambiais. Portanto, quem sabe em um futuro não distante, muito próximo, nós consigamos evitar acontecimentos como este que se verificou na semana passada.

Este é um fato, ministro Moreira, muito importante do dia de hoje. E estas metas, vou dizer o óbvio, mas são estímulo à produção de combustíveis mais eficientes e sustentáveis. Ganha o consumidor, com preços mais baixos, como aqui ficou demonstrado, e maior também poder de escolha. Naturalmente, ganha toda a sociedade, especialmente com mais segurança energética. Tudo isso com total respeito ao meio ambiente.

Aliás, nosso governo, mais uma vez eu quero comemorar o Dia Internacional do Meio Ambiente com todos os senhores e as senhoras dizendo que nós temos firme compromisso com a causa ambiental. Aliás, como disse aqui o ministro Edson Duarte, eu acabo de assinar, agora há 10 minutos atrás, Marinha, duas novas áreas de preservação: a Reserva Extrativista do Baixo Rio Branco Jaguapiri, na floresta amazônica, e um refúgio de vida silvestre para a ararinha-azul, na Bahia, antes extinta em seu habitat natural, estamos reintroduzindo a ararinha na natureza.

Mas nossas ações tenho repetido isso inúmeras vezes no meio ambiente, vão muito além. Vejam que nós revertemos a curva do desmatamento na Amazônia. E fizemos este dado é mais ou menos recente , nós fizemos cair em mais de 56% o desmatamento da Mata Atlântica. São fatos todos desses dois anos do nosso governo.

E, convenhamos, nós praticamos um gesto até ousado: nós delimitamos, Plínio, as reservas marinhas da dimensão de países como a França e a Alemanha. A maior reserva marinha do mundo, não é? Eu até, numa reunião que mantive aqui no Palácio com ambientalistas, presente se achava uma senhora, ambientalista, naturalmente, dos Estados Unidos, que era mergulhadora e que mergulhava, contou-nos, desde os cinco anos de idade e hoje tem 84 anos e continua mergulhando. E ela disse: “Olha, eu sou mais peixe do que mulher”. Porque, na verdade, ela dedicou a vida toda dela à preservação de reservas marinhas, à criação de reservas marinhas. E, na verdade, veio comemorar conosco aquele instante que nós decidimos desta maneira, com a colaboração da Marinha brasileira.

E durante o meu governo também nós lançamos a plataforma para o biofuturo, não é verdade? Iniciativa que já congrega cerca de 20 países, com o objetivo de promover aumento do uso de biocombustíveis. Nós temos, portanto, fomentado não um desenvolvimento qualquer, mas um desenvolvimento que se sustenta no tempo.

Daí, aliás, nosso empenho, Ronaldo, desde o início, em colocar ordem nas contas, em modernizar o ambiente regulatório, em dar mais eficiência ao Estado brasileiro. Aliás, eu não me canso de dizer que nós estamos cumprindo à risca o plano de governo que nós apresentamos ao País e que, creiamos ou não, trouxe de volta o crescimento e a abertura de postos de trabalho. Ninguém pode negar isso, por mais que se diga: “ah, não há postos de trabalho”, mas vai ver no IBGE, vai ver no Caged, quantas carteiras assinadas tivemos, ministro Etchegoyen? Nestes quatro meses, cinco meses de governo, mais de 500 mil carteiras assinadas de trabalho e mais de 1 milhão e 800 mil postos de trabalho. Isto deve nos dar precisamente otimismo, não é? Abandonarmos qualquer espécie de pessimismo e ter muito otimismo.

Mas o que mais nos dá otimismo no dia de hoje, ministro Padilha, é exata e precisamente a assinatura deste ato e a comemoração, que até vou sugerir, Edson Duarte, que divulgue isso por todos os movimentos ambientalistas mundiais, porque eu não sei se todos os Estados estão comemorando como nós estamos comemorando hoje com atos concretos, como disse, formatados, atos executórios, não apenas palavras, nós estamos comemorando o Dia Internacional do Meio Ambiente.

Portanto, meus cumprimentos aos amigos, colaboradores do Ministério de Minas e Energia, do Meio Ambiente, enfim, a todos que colaboraram para que nós pudéssemos hoje realizar esta comemoração.

Muito obrigado.  

 Ouça a íntegra do discurso (07min39s) do Presidente.

registrado em: ,
Reportar erro