Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Discursos > Discursos do Presidente da República > Palavras do Presidente da República, Michel Temer, durante jantar com Governadores - Brasília/DF

Palavras do Presidente da República, Michel Temer, durante jantar com Governadores - Brasília/DF

por Portal Planalto publicado 13/06/2017 21h25, última modificação 14/06/2017 12h26

 

Palácio da Alvorada, 13 de junho de 2017

 

 

Muito bem, olha, eu quero cumprimentá-los mais uma vez, agora coletivamente, e dizer da satisfação que nós temos todos de nos encontrarmos neste encontro federativo que, ao longo do tempo, tem dado os melhores resultados.

 Os senhores se recordam que, na reunião em que nós repactuamos as dívidas, já se discutia um tema que foi sendo levado adiante ao longo do tempo, especialmente pelo… também pelo Legislativo, pelo senador Eunício, que tem tratado muito desse tema lá no Senado Federal, que é a questão da repactuação, também, da dívida no BNDES.

Isso foi mencionado ainda há poucos dias, na sexta-feira. Conversávamos, eu e o governador Marconi Perillo. O Marconi até… o [inaudível] teve esta ideia, de nós nos reunirmos para discutir esse tema. Nós temos um novo presidente do BNDES. E eu apreciaria muito que nós todos pudéssemos ter também uma solução para a questão do BNDES. Há dívidas lá que são garantidas pela União, têm um determinado tratamento, e dívidas não garantidas pela União, que têm outro tratamento. Nós pedimos ao Paulo Rabelo Castro. Cadê o Paulo? O Paulo vai fazer um estudo, nesses dias, embora tenha estado há poucos dias no BNDES. Mas ele já fez um levantamento. Eu apreciaria, se todos estiverem de acordo, que ele faça uma preliminar sobre este tema porque o objeto principal, central, desta nossa reunião é exatamente isso. Nós temos que encontrar um caminho que seja saudável para os estados e que também não seja prejudicial para o BNDES e para a União.

Então, vou pedir ao Paulo para fazer uma breve exposição, depois os senhores governadores poderão utilizar a palavra. Pode ser assim?