Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Discursos > Discursos do Presidente da República > Discurso do presidente da República, Michel Temer, na cerimônia de Assinatura de Protocolo de Intenções de Estruturação Financeira da Santa Casa de São Paulo - Brasília/DF

Discurso do presidente da República, Michel Temer, na cerimônia de Assinatura de Protocolo de Intenções de Estruturação Financeira da Santa Casa de São Paulo - Brasília/DF

por Portal Planalto publicado 06/12/2016 13h00, última modificação 10/01/2017 15h54

Palácio do Planalto, 06 de dezembro de 2016

 Quero cumprimentar o governador Geraldo Alckmin, o Ricardo Barros, o Antônio Brito, Gilberto Nascimento, o Dr. Setúbal, o Gilberto Occhi, David Uip, o Edson Rogatti, enfim, todas as autoridades que aqui se acham e dizer com muita, muito brevemente, da satisfação, governador, de assistir a este ato.

Na verdade, eu sempre conto que sou de uma cidade do interior onde a Santa Casa era um lugar altamente prezável. Tinha até tinha esse tom um pouco religioso, não é? Eu, quando entrava na Santa Casa, Dr. Setúbal, eu fazia o nome do padre, porque na verdade a impressão que eu tinha é  que era um lugar onde as pessoas iam se salvar. E tanto que se chama Santa Casa de Misericórdia, não é? Misericórdia vem do latim, miserere, que significa infortúnio, desventura; mas cordes é o coração. Então, é com o coração que você vai tratar do infortúnio. Então, a impressão que eu sempre tive ao longo do tempo, foi exatamente isso, não é?

E portanto, quando eu vejo a Caixa Econômica cuidar das Santas Casas e acho que este momento serve exatamente para que não só procure, digamos assim, ajudar a Santa Casa de São Paulo, que tem uma longa tradição. A Santa Casa de São Paulo tem uma tradição extraordinária e serve de exemplo, na verdade, para todas as Santas Casas do país. Tem sido assim e esta concepção que nós temos.

E a Caixa Econômica Federal, interessante outro aspecto. Eu sempre via a Caixa Econômica no passado, como não um estabelecimento de crédito que pudesse apenas gerar lucros, dividendos. A Caixa Econômica, para mim, na minha imagem, na imagem de todos, a Caixa Econômica Federal tinha sempre uma função social. Então, no instante que eu vejo o Gilberto Occhi providenciar, naturalmente instado pelo Antônio Brito, que o é o presidente da Frente Parlamentar. Mas quando vejo o Gilberto Occhi praticando essa atividade, que no fundo é uma atividade social porque está vinculando essa importância razoável - R$ 360 milhões - à Santa Casa de São Paulo, eu mesmo espero mais uma vez que isso se reproduza com as várias Santas Casas no país.

Eu acho, como as Santas Casas sempre têm muitas dificuldades, eu acho que o Gilberto Occhi e os senhores vão ter muita gente batendo às portas lá da Santa Casa, da Caixa Econômica. E eu espero que este ato também possa reproduzir-se em todas as Santas Casas do país.

De modo que é com satisfação extraordinária que eu cumprimento a todos, cumprimento o Gilberto Occhi, cumprimento o nosso ministro da Saúde - tem feito um belo trabalho - Dr. Setúbal e o governador Geraldo Alckmin, a quem sempre tenho renovado prazer em revê-lo, especialmente no momento em que o Governo Federal se une ao governo estadual para recuperar a Santa Casa e São Paulo.

Muito sucesso.

 

Ouça a íntegra (03min17s) do discurso do presidente.