Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Discursos > Discursos do Presidente da República > Discurso do Presidente da República, Michel Temer, durante Reunião do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) - Brasília/DF

Discurso do Presidente da República, Michel Temer, durante Reunião do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) - Brasília/DF

por Portal Planalto publicado 07/03/2017 20h00, última modificação 08/03/2017 18h14

Palácio do Planalto, 07 de março de 2017

  

Eu quero cumprimentá-los a todos novamente. E com muita satisfação declaro aberta a segunda reunião do Programa de Parceria de Investimentos. Que é um Programa que tem se revelado fundamental para a articulação governamental. Visa o fomento, investimento em infraestrutura e a promoção de um novo ambiente de negócios e acho que isso está sendo, está se verificando no setor que trata do Programa de Parcerias e Investimentos.

Eu acho que para os senhores nessa reunião, vão analisar os objetivos que foram delineados na primeira reunião e que eventualmente tenham sido alcançados ou mesmo prosperado nesse período.

Vejo que serão R$ 45 bilhões de novos investimentos nos setores de energia, transportes e saneamento e que promoverão a criação de cerca de 200 mil novos empregos diretos e indiretos. Precisamos fazer logo isso, viu? Que o que mais almejamos é exatamente o combate ao desemprego. Então, quanto mais, quanto antes pudermos levar isso adiante, tanto melhor.

Aliás, no tópico desses R$ 45 bilhões, o ministro de Minas e Energia, apresentará 35 lotes de empreendimentos em instalações de linhas de transmissão de energia elétrica, em 17 estados da federação.

Verifico, também, que o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, apresentará também diversos projetos. De concessão de terminais portuários e de rodovias, que é fundamental para o escoamento da produção brasileira. Aliás, eu verifico de vez em quando uma imagem na televisão deste Programa, lá naquela rodovia do Pará, que eu já conversei com o ministro Maurício Quintela e que dificulta realmente o escoamento. Quer dizer, a questão da infraestrutura no Brasil, ela não tem apenas o objetivo de permitir o escoamento de veículo, dos caminhões, do que seja, mas o escoamento da produção.

De vez em quando eu ouço palavras, frases ou dicções, ressaltando que boa parte da safra se perde por causa da ausência de uma boa infraestrutura de transportes. Eu quero dizer que nós herdamos isso. Não fomos nós que fizemos isso e agora, especialmente nesse caso da rodovia do Pará, BR 63, o exército está colaborando, o Ministério dos Transportes e os demais estão todos trabalhando juntos e já resolvendo caso, porque, emergencialmente, colocam pedras lá, etc, para que haja o trânsito de caminhões. Mas, de qualquer maneira, o asfaltamento vai logo ser retomado em um trecho ainda inexistente, ainda não asfaltado, mas que deve ser logo concluído, solucionando aquele problema.

Mas isso é um exemplo, eu trago à (incompreensível) esse exemplo visual que nós assistimos pela televisão, por fotos, que o Maurício me mandou, assim como o Helder, exata e precisamente, para revelar a importância dessa área, desta parceria de investimentos porque, com o tempo, nós queremos é ter uma infraestrutura tão sólida, tão eficaz, tão exata que o escoamento da produção se dê com grande facilidade.

Ainda hoje de manhã, nós fizemos uma reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, que hoje tem 101 membros, e sobre ter 101, há mais de 40 na fila querendo entrar. O que é um bom sinal para o governo, é sinal de que as pessoas estão interessadas em colaborar.

E até, só para relatar aos senhores e às senhoras, durante duas reuniões de dois dias cada uma, cada uma das reuniões, os conselheiros se reuniram no passado e trouxeram uma pauta com 15 itens. Quinze itens que a secretária do conselho levou aos ministérios e lá obteve respostas, e respostas positivas que nós pudemos dar no dia de hoje, tomando providências para o futuro e já registrando providências que já estão sendo tomadas.

Com isso, nós vamos deixando, como sempre lembra o ministro Meirelles, a recessão para trás, uma recessão profunda, e entrando em uma fase de prosperidade. E é nessa nova fase que a participação da iniciativa privada, dos investimentos privados, será decisiva. Até em função das dificuldades de orçamento que nós temos.

Então, eu volto a dizer que eu tenho muita satisfação de reabrir esta segunda reunião do Programa de Parceria de Investimentos e vou passar a palavra ao ministro Moreira Franco para detalhar aquilo que, genericamente, eu registrei aos senhores e às senhoras.

 

Eu lamento, mas vou ter que pedir licença, eu tenho outra reunião. Mas já pelas preliminares eu verifiquei que a reunião será muito fértil e produzirá efeitos muito positivos para o Brasil.

Então, peço licença e peço que continuem com o trabalho.

 

Ouça a íntegra do discurso (05min41s) do presidente Michel Temer

registrado em: